Obesidade e Álcool: 2 Fatores que podem contribuir para o aumento dos seios em homens

Tempo de leitura: 9 minutos

Caracterizada por ser um crescimento anormal do tecido mamário em homens, a ginecomastia é um problema que atinge milhares de homens em diferentes idades no país todos os anos, e diferente do que possa parecer, o aumento de mamas nos homens não é gordura e sim tecido mamário propriamente dito. Sendo assim, o tratamento é mais complexo do que apenas emagrecer.

Ginecomastia: conheça as causas e tratamentos

Esse problema que afeta a autoestima de muitos homens possui diversas causas e para fazer com que o tratamento de ginecomastia seja eficaz, em primeiro lugar o ideal é investigar a fundo o que pode estar gerando esse crescimento anormal, tratar a causa e depois optar pelo melhor tratamento para diminuir as mamas e consequentemente ter mais qualidade de vida.

Afinal, o que define ginecomastia?

Não é todo crescimento mamário em homens que entra na classificação de ginecomastia. Esse problema é caracterizado como presença de 2 ou mais centímetros de tecido mamário firme, palpável e subareolar. Diferente do que algumas pessoas possam pensar, a ginecomastia não é motivo de vergonha e pode ser facilmente tratada com as opções disponíveis.

A verdadeira ginecomastia refere-se ao aumento glandular, ao invés de depósito de gordura no local. Para homens que sofrem de aumento das mamas causado apenas por depósito de tecido adiposo não se caracteriza como ginecomastia, mas sim pseudoginecomastia. Nesse caso, apenas o emagrecimento já é responsável por extirpar o problema, diferente da ginecomastia que envolve questões hormonais e uma investigação maior das causas.

Por falar em questão hormonal, foi comprovado que essa condição é fruto de um desequilíbrio hormonal masculino, onde por diversas causas, o hormônio feminino estrogênio corre em quantidades inadequadas no sangue do paciente, gerando o aumento da mama e outros sintomas, assim como a testosterona se mantém em quantidades menores do que deveria estar.

A ginecomastia pode ser induzida pelo paciente

Nem sempre esse fenômeno é causado apenas pelas mudanças hormonais naturais na adolescência ou até mesmo na terceira idade, onde a ginecomastia também aparece. Uso de medicamentos, drogas psicoativas e até mesmo outros hábitos inadequados podem fazer com que haja algum desequilíbrio hormonal no corpo do homem, assim como da própria saúde geral. Para isso, é muito importante consultar um médico especialista para que o mesmo possa fazer um estudo completo sobre os hábitos do paciente nos últimos meses e entender o que está causando a ginecomastia.

Sem saber exatamente o que está causando a desordem hormonal, o paciente pode demorar a encontrar os resultados que procura, assim como pode sofrer sintomas secundários dos problemas hormonais atuais. A ginecomastia é um problema relativamente comum, portanto possui diversos tratamentos e formas de abordagem.

Ter certeza do diagnóstico é essencial

Apesar de ser facilmente palpável e vista, a ginecomastia é um problema que precisa ser examinado e confirmado pelo médico. Pode ser bilateral, ter de 2 a 10 centímetros e para ter seu diagnóstico confirmado não existem grande segredos. Exames de dosagens hormonais específicas, ultrassom mamário, da bolsa escrotal e até mesmo uma mamografia já são ideais para confirmar as suspeitas e prosseguir com o tratamento. Além disso, exames de imagem são essenciais para avaliar se há algum tecido anormal ou até mesmo um tumor no local.

Relação de obesidade e ginecomastia

Como dito anteriormente, a obesidade pode ser responsável pelo depósito de gordura na região das mamas masculinas, o que gera um volume indesejado, caracterizando a pseudoginecomastia, que não é propriamente o fenômeno de desordem hormonal que caracteriza a ginecomastia.

Porém, a obesidade também pode causar a ginecomastia em si! No tecido adiposo, ou seja, de gordura, existe uma curiosa enzima chamada aromatase, responsável por fazer a transformação de androgênio em estrogênio. Sendo assim, na obesidade existe excesso de gordura no corpo humano e consequentemente o excesso de aromatase também, o que é uma das responsáveis pela desordem hormonal em homens.

Infelizmente, nem sempre o emagrecimento por si só resolve a questão do aumento de mamas, já que o problema envolve uma questão hormonal importante. O ideal é buscar um tratamento multidisciplinar que possa confirmar o aumento do estrogênio e indique como adequar os níveis hormonais da melhor maneira.

A obesidade é uma doença conhecida no mundo todo por possuir diversos riscos a saúde, assim como ser a causa de mortes de maneira indireta e direta. Tratar a obesidade não é só um tratamento para a ginecomastia, e sim para a saúde geral do paciente. O paciente que possui obesidade e ginecomastia nem sempre terá esse problema por ter sobrepeso, mas tratar a obesidade é sempre ideal para que a pessoa apresente melhoras mais significativas, assim como uma maior qualidade de vida.

Ginecomastia pode causar problemas psicológicos

Independente da idade do paciente, a ginecomastia pode afetar diretamente a autoestima do indivíduo, assim como gerar outros problemas como ansiedade, timidez e até mesmo depressão, caso a pessoa sofra bullying e outros tipos de exclusão social. Por isso, tratar a ginecomastia não é apenas uma questão estética e sim de bem-estar e saúde, já que pode envolver muitas outras questões além da estética. Além disso, a desordem hormonal em homens pode causar diversos outros sintomas, como até mesmo a dor nas mamas!

Alcoolismo: um vilão que pode causar ginecomastia

Além de ser responsável por destruir famílias, empregos e causar doenças incuráveis como a cirrose, o alcoolismo também pode causar problemas secundários como a ginecomastia. Isso mesmo, o uso excessivo e descontrolado de bebidas alcoólicas de qualquer tipo pode ser responsável pelo aumento de mamas em homens.

Justamente por atacar o fígado e gerar danos irreparáveis a este importante órgão, o alcoolismo pode causar ginecomastia justamente por isso! Responsável por mais de 500 atividades, o fígado também lida com hormônios e como se é de imaginar, quando doente esse órgão pode exercer suas funções com certos erros. Sendo assim, o fígado danificado pode transformar hormônios masculinos em femininos causando entre outras coisas, a famosa ginecomastia.

Ou seja, para tratar a ginecomastia, pode ser necessário investigar a fundo a vida do paciente para entender causas como o alcoolismo. Como o tratamento do fígado é essencial para a vida do paciente, a ginecomastia pode diminuir já com o tratamento direto para o fígado.

Em alguns casos, as doenças do fígado podem ser silenciosas e apenas gerar sintomas quando o órgão já está amplamente doente. Para certificar-se o nível de saúde do fígado, existem diversos exames de imagem assim como laboratoriais para avaliar o funcionamento e até comprometimento deste órgão. A investigação profunda da ginecomastia pode encontrar doenças que até então eram desconhecidas pelo paciente.

É de conhecimento geral que o alcoolismo é um problema grave, que além de poder causar doenças como a cirrose e danificar diversos órgãos, também pode envolver o paciente em acidentes graves de trânsito, assim como acidentes de trabalho e até mesmo a morte. Tratar o alcoolismo também é tratar da saúde, afinal ter qualquer vício gera apenas prejuízos para o indivíduo e para sua família, colegas e até mesmo seus amigos.

Outras causas

Além da obesidade e alcoolismo, a ginecomastia também pode ter outras causas como o uso de alguns medicamentos, assim como anabolizantes e até mesmo a puberdade ou velhice. Nessas idades o indivíduo passa por diversas alterações hormonais, o que pode é claro, gerar desordens significativas que podem gerar a ginecomastia.

Além dessas causas, a ginecomastia pode ser causada por problemas no escroto do homem, que pode estar debilitado ou funcionando lentamente, assim como com algum tumor.

Como se livrar da ginecomastia?

Independente da causa desse incômodo problema, tratar a ginecomastia é muito importante para a autoestima do paciente, assim como para sua saúde mental. O tratamento mais realizado no mundo e consequentemente o que apresenta resultados duradouros e sem efeitos colaterais é a cirurgia de remoção de tecido mamário masculino.

Diferente do que algumas pessoas possam achar, a cirurgia é rápida, possui fácil cicatrização, assim como gera pequenas cicatrizes, que por sua vez ficam estrategicamente escondidas, o que não irá gerar nenhuma vergonha! A cirurgia consiste em remover os tecidos glandulares e gordurosos em volta do mamilo. Pode ser feita de várias maneiras, seja com a lipoaspiração ou até mesmo mamoplastia redutora.

A principal diferença entre os tipos de cirurgia é o tamanho e tipo de ginecomastia do paciente, que pode ser dividida em 3 tipos, sendo o 1 o mais leve, o 2 mediano e 3 o mais grave. Todos os tipos de ginecomastia são facilmente reduzidos com os métodos disponíveis na medicina atual.

Lembre-se: os procedimentos que visam tratar a ginecomastia não são considerados estéticos e sim corretivos, pois a ginecomastia não se trata de um problema estético apenas, como é de saúde. Sendo assim, buscar a remoção da ginecomastia é um direito do paciente que terá diversos benefícios!

Conte com o Dr. Wendell Uguetto

Com o Dr. Wendell Uguetto, você vai receber todo o atendimento necessário para cuidar da sua Ginecomastia. Além disso, através de um exame completo e detalhado, prescrição médica do tratamento e acompanhamento mensal e completo.

Faça já sua avaliação com o Dr. Wendell Uguetto!

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.

O que é Ginecomastia?
Causas da Ginecomastia
Graus da Ginecomastia
Tratamento para Ginecomastia
Cirurgia de Ginecomastia