Ginecomastia em adolescentes: saiba como agir

Tempo de leitura: 4 minutos

A adolescência é marcada pelo turbilhão de hormônios, que podem causar o aumento anormal das mamas nos meninos. Confira dicas para quem sofre desse problema!
A adolescência é marcada pelo turbilhão de hormônios, que podem causar o aumento anormal das mamas nos meninos. Confira dicas para quem sofre desse problema!

A ginecomastia em adolescentes é ocasionada por diversos fatores modernos, como a alimentação rica em gordura e hormônios. Mas, você já ouviu falar da ginecomastia? O nome, derivado do grego, pode soar um pouco estranho, mas é um problema que pode acontecer com qualquer homem. Trata-se do aumento excessivo das mamas, chegando a ganhar contornos femininos e, assim, prejudicam a autoestima e a motivação de qualquer homem. Nos primeiros momentos, o crescimento desproporcional e patológico das mamas chega até a causar dores, atrapalhando também o próprio dia a dia e o bem-estar da pessoa acometida com esse mal.

No entanto, qual é a causa da ginecomastia em adolescentes? Sabe-se que ela é estimulada por um desequilíbrio hormonal, com mais hormônios femininos (o estrogênio, por exemplo) do que masculinos (como a testosterona). Esse desequilíbrio tem inúmeras razões, como o consumo de bebida alcoólica em excesso e de drogas sintéticas ou não-sintéticas. A ingestão de anabolizantes para o crescimento muscular também pode causar a ginecomastia, bem como o uso de medicações, a idade avançada e tumores da glândula mamária.

Devido a sua causa, o principal público afetado por esse problema são os adolescentes. Afinal de contas, eles, quando passam pela puberdade, têm um turbilhão de hormônios que pode aparecer de forma deficitária num primeiro momento. Às vezes, o estrogênio é produzido bem antes da testosterona, causando o aumento anormal das mamas. Não à toa, segundo os especialistas, 65% dos jovens entre 14 e 15 anos acabam tendo algum grau de ginecomastia. No entanto, trata-se de um problema reversível: já aos 17 anos, apenas 7% continuam com ginecomastia, já que os hormônios se equilibram e, assim, as mamas vão gradualmente perdendo tamanho e gordura.

Logo, muitos adolescentes se fazem a mesma pergunta: o meu problema realmente vai desaparecer? Assim, esse artigo pretende dar dicas aos adolescentes para que eles não sofram com essa deformação e possam retomar sua vida de forma tranquila e saudável.

A solução é esperar

O ideal é esperar 2 anos para ver se o problema é reversível, mas também há outras ideias para quem não aguenta mais essa situação.
O ideal é esperar 2 anos para ver se o problema é reversível, mas também há outras ideias para quem não aguenta mais essa situação.

Nos casos de ginecomastia em adolescentes, a recomendação de especialistas em ginecomastia, o melhor a ser feito é esperar pelo menos dois anos para ter certeza de que o problema não se deve à puberdade, nem tampouco a alterações hormonais pontuais da adolescência. A primeira fase da adolescência é quando tudo é muito novo, por isso, se houver um tratamento medicamentoso justo nessa época, pode ser que o corpo se sinta ainda mais desequilibrado e não faça os desenvolvimentos sexuais, mentais e físicos que precisam ser feitos.

No entanto, para muitos, não basta esperar para ver o resultado. Afinal, quanto maior e mais demorado o crescimento das mamas, pior será a repressão sociopsicológica do adolescente, que deixa de fazer coisas básicas por causa desse grave problema – ele pode deixar de ir à piscina, à praia, não tem mais coragem de tirar a camiseta ou usar roupas muito justas… dependendo do caso, por isso, o adolescente pode buscar o auxílio de um especialista para não passar dois anos com todo esse constrangimento.

Devido a isso, o mais recomendado é uma investigação profunda do caso. O adolescente poderá ter que mudar hábitos e atitudes para incentivar a retomada do tamanho mamário normal. Uma reeducação alimentar, mais exercícios físicos, a restrição de algum tipo de comida e bebida e a utilização de hormônios de forma controlada e limitada são algumas das soluções.

A mamoplastia redutora

Caso isso ainda não funcione, o adolescente poderá partir para a cirurgia – a chamada mamoplastia redutora. Nesse caso, utilizado apenas em última instância, quando o adolescente realmente está sofrendo muito e a doença já foi devidamente investigada, a massa em excesso das mamas é eliminada, retirando a glândula mamária e criando o contorno do peitoral masculino. Em alguns casos de ginecomastia em adolescentes, até lipoaspiração é feita, para tirar a gordura das mamas.

No entanto, a operação não atrapalha o desenvolvimento dos adolescentes, já que a glândula mamária não tem função alguma nos homens e não afetará os hormônios em produção no corpo. Trata-se de uma cirurgia extremamente eficiente e segura, que não chega a durar nem 2 horas e ajuda os adolescentes a retomarem a autoestima e a alegria.

Logo, a principal recomendação é: tendo qualquer dúvida ou constrangimento, entre em contato com um especialista em ginecomastia. Afinal, só ele poderá te ajudar a entender melhor o grau do seu problema, te orientando a respeito das medidas necessárias.

Comentários do Facebook