Tudo sobre ginecomastia puberal

Tempo de leitura: 3 minutos

A puberdade é um período que compõe a adolescência, em que são registradas diversas mudanças físicas e psicológicas. É a fase em que o indivíduo deixa a infância para trás, mas ainda não chegou à idade adulta. A transitoriedade e as mudanças constantes fazem parte do dia a dia de meninos e meninas nessa etapa.

É claro que o desenvolvimento da maturidade física e mental é um processo delicado para qualquer um. Fica ainda mais difícil para alguns meninos que, ao chegar nessa fase, percebem um aumento indesejado nas mamas, a ginecomastia.

Ginecomastia puberal: por que isso ocorre?

A chegada à puberdade é marcada por uma série de picos hormonais que promovem o desenvolvimento do corpo para a idade adulta. Mesmo nos meninos, hormônios femininos atuam, antes que a testosterona (hormônio masculino) entre em ação. Por isso, o volume das mamas pode sofrer um certo aumento a partir dos 10 anos de idade, geralmente atingindo o pico entre os 13 e os 14 anos. O que se percebe é um aumento no diâmetro da mama, podendo haver também alteração no pigmento da aréola.

Diante das causas hormonais, é importante ressaltar que a ginecomastia pode atingir garotos de qualquer faixa de peso, não apenas os de peso mais elevado, como se costuma acreditar.

Ginecomastia puberal:quais são as consequências do problema?

A ginecomastia não é um problema de saúde grave. No entanto, os meninos que a desenvolvem, especialmente por conta das fragilidades e inseguranças naturais da adolescência, podem sofrer com baixa autoestima e insatisfação com o próprio corpo. Num momento em que os meninos começam a se diferenciar fisicamente das meninas e a descobrir a sexualidade, a última coisa que desejam é ter seios com aspecto feminino.

O desenvolvimento da autoimagem e da autoestima são processos importantes na adolescência. Além disso, é nessa fase que o indivíduo sente uma necessidade de criar laços afetivos com as pessoas, sejam eles de amizade ou de relacionamentos amorosos. Essa necessidade de pertencimento a um grupo pode ser prejudicada pelas características físicas, que podem desencadear a prática do bullying. Comentários e piadinhas desagradáveis prejudicam a socialização do adolescente, que tende a ficar ainda mais envergonhado, introspectivo e, em alguns casos, isolado. Deixar de praticar esportes, evitar andar sem camiseta, usar roupas mais largas e até mesmo evitar frequentar praias e piscinas são algumas das possíveis alterações comportamentais.

Ginecomastia puberal: o que se pode fazer?

Quando a ginecomastia surge espontaneamente na puberdade (ou seja, ela não foi causada por outros problemas de saúde, uso de drogas, medicamentos ou esteroides anabolizantes), a boa notícia é que a condição tende à regressão espontânea em até dois anos, tornando-se incomum após os 17 anos.

Contudo, há casos mais persistentes e mais graves. Nessas circunstâncias, é preciso consultar um médico para saber qual tipo de tratamento é mais recomendado. É possível tratar a condição com medicamentos, porém, quando o aumento mamário tem diâmetro superior a 4cm, a cirurgia é a opção mais recomendada, removendo a glândula das mamas. Além disso, em alguns casos, o acompanhamento psicológico pode ser necessário para ajudar o adolescente a passar por esse período.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.