Tratamento para ginecomastia ou cirurgia, como saber qual devo escolher?

Tempo de leitura: 9 minutos

Problema que atinge cerca de 40% dos homens em qualquer idade, a ginecomastia é o aumento das mamas anormal e causa diversos problemas para os homens, que procuram o tratamento para ginecomastia que pode ser medicamentoso ou cirúrgico. Afinal, qual dessas modalidades de tratamento escolher? Saiba mais e entenda qual dos dois tratamentos se encaixa melhor com seu caso.

Será que é ginecomastia? Saiba antes de tudo o que caracteriza esse problema

A ginecomastia é o aumento das mamas masculinas. É causada por uma desordem hormonal, portanto é um problema clínico e não estético. Essa desordem hormonal é o desequilíbrio entre os hormônios sexuais progesterona e testosterona. A ginecomastia também pode ser chamada de ginecomastia verdadeira, já que a ginecomastia só acontece quando ocorre desordem hormonal.

 

Por outro lado, a pseudoginecomastia é uma condição semelhante com a ginecomastia verdadeira, com a diferença de que em vez de haver um aumento das glândulas mamárias no homem, existe um acúmulo de gordura na região, gerando também um aumento das mamas, porém é apenas gordura localizada, que com emagrecimento teoricamente já seria extirpada.

 

A ginecomastia verdadeira também pode ser mista, quando ocorre a questão hormonal associada com o aumento de peso, ou seja, o homem possui aumento das glândulas mamárias além de ter acúmulo de gordura na região do peito. Dessa forma, o tratamento precisa ser focado no emagrecimento e reorganização hormonal.

 

Classificação da ginecomastia

A ginecomastia é um problema que possui 3 tipos de gravidade, e cada nível possui um tipo de tratamento indicado, portanto é muito importante saber qual é o nível do problema. Confira qual melhor se encaixa com seu caso!

 

Grau 1: De fato, é o menor grau de ginecomastia. Caracteriza-se por uma pequena saliência no mamilo, e possui fácil remoção;

 

Grau 2: É considerado um grau intermediário, onde as mamas já estão maiores, ou seja, não é mais só o mamilo que encontra-se avantajado. O problema já é mais palpável e aparece com mais facilidade em roupas apertadas;

 

Grau 3: O grau 3 é o mais grave e portanto apresenta maiores sintomas. Além do tamanho da mama que é maior do que nos outros casos, neste grau as mamas podem ficar caídas e serem facilmente vistas em qualquer roupa, além de poderem ser dolorosas, apresentarem inchaço e serem sensíveis.

O que causa o aumento das mamas masculinas?

Como a ginecomastia é causada por uma desordem hormonal, existem vários fatores que podem causar a ginecomastia, entre eles estão:

 

  • Puberdade: na transição da fase infantil para a adolescência, o homem pode ter um desequilíbrio hormonal nesse período;
  • Velhice: assim como na puberdade, a transição para a terceira idade pode causar diminuição dos hormônios masculinos;
  • Anabolizantes: cerca de 50% dos homens que usam anabolizantes apresentam ginecomastia, já que esses produtos são feitos à base de hormônios e podem causar uma grande desregulação no corpo;
  • Uso de drogas: o uso de maconha pode causar ginecomastia;
  • Alcoolismo: o uso abusivo de álcool pode gerar problemas no fígado e desordens no corpo, sendo que uma delas é a ginecomastia;
  • Medicamentos: existem dezenas de medicamentos que são responsáveis por desordens hormonais. O ideal é sempre ler a bula dos mesmos e conhecer os efeitos colaterais;
  • Tumores (nas gônadas ou no pulmão): certos tipos de tumores podem causar desordens hormonais, principalmente quando estão localizados no escroto;
  • Hipotireoidismo e hipertireoidismo: problemas na tireóide causam desordens hormonais no corpo todo, trazendo alterações que vão desde quedas de cabelos como até depressão.

Como fazer o tratamento de ginecomastia?

O tratamento para ginecomastia pode ser feito à base de medicamentos que irão controlar a questão hormonal ou pela cirurgia que irá extirpar as glândulas mamárias e retirar a gordura também, se houver.

 

O tratamento para ginecomastia não é apenas físico, mas também psicológico, já que ter mamas avantajadas pode causar sofrimento social e problemas com auto estima, ansiedade e alguns casos mais extremos até depressão. Sendo assim, independentemente da terapia utilizada, o homem precisa buscar ajuda com psicólogos ou até mesmo participar de rodas de conversa. O apoio dos familiares é essencial tanto no começo como no fim do tratamento!

Tratamento medicamentoso

O tratamento medicamentoso é indicado para regular a questão hormonal no corpo masculino: diminuir o hormônio feminino progesterona e aumentar a quantidade do hormônio masculino testosterona. Existem remédios que regulam esses hormônios, sendo especializados para esse problema, sendo que os mais usados no tratamento da ginecomastia são aqueles que bloqueiam a ação da progesterona no corpo.

 

Lembre-se: apenas o médico especialista pode diagnosticar, tratar e prevenir a ginecomastia. A automedicação pode trazer males diversos para a saúde do paciente, assim como pode mascarar sintomas importantes e até mesmo causar efeito rebote no problema hormonal!

Cirurgia

A cirurgia é um modelo de tratamento mais conhecido, por gerar resultados definitivos, já que o procedimento se caracteriza pela remoção total das glândulas mamárias. Sendo assim, nunca poderão crescer novamente. A cirurgia é recomendada em casos onde os medicamentos não conseguiram atingir uma diminuição efetiva das mamas, assim como em 2 anos as mamas não apresentaram nenhuma melhora.

 

A cirurgia de ginecomastia é rápida, feita em 1h é média, com anestesia local com sedação e exige apenas 1 dia de internação. Inclusive, é a cirurgia mais feita em homens no Brasil e está em segundo lugar da mais feita em homens no mundo, perdendo apenas para a rinoplastia.

 

A cirurgia de ginecomastia possui pequenos riscos, como qualquer cirurgia, não é dolorosa e tem uma cicatrização fácil. Um outro ponto para a cirurgia de ginecomastia é que em 30 dias ou menos o paciente já pode começar a ver os resultados, que serão para sempre.

Como é feita a cirurgia de ginecomastia?

Apesar de ser um tratamento médico, a cirurgia de ginecomastia também possui cunho estético: sendo assim, as incisões são discretas, feitas em locais estratégicos da mama masculina, sendo quase imperceptíveis.

 

A cirurgia consiste na remoção das glândulas mamárias, sendo assim, são feitas incisões em formato de meia lua ao redor do mamilo, na região onde existe a diferenciação de cores de pele. Os cortes são pequenos e facilitam a retirada do tecido todo. Em homens que apresentam também a gordura localizada na região, podem passar pelo procedimento de lipoaspiração, onde uma pequena cânula realiza um furo de 5 milímetros em uma região da mama, retirando a gordura do local.

 

E nos casos mais extremos não ficam para trás: homens que possuem mamas com aréolas maiores, caídas e com excesso de pele também tem esses problemas resolvidos na cirurgia de ginecomastia, que irá retirar a pele em excesso e diminuir a aréola, tornando-a com tamanho padronizado e proporcional.

 

E como é o pós operatório?

Alguns homens possuem medo da cirurgia da ginecomastia por acharem que será dolorosa, com recuperação limitante e resultados que demorarão para surgir. Mas nesse tipo de procedimento acontece justamente o contrário!

 

O pós operatório da cirurgia de ginecomastia é tranquilo e o paciente recebe alta em até 24h após o procedimento. O paciente sente poucas dores e o inchaço é leve, assim como a presença de hematomas não é elevada e as cicatrizes são pequenas.

Uso da cinta pós operatória

O uso da cinta compressiva após a cirurgia é obrigatório durante o período de 30 a 45 dias. A cinta melhora a aderência da pele, assim como diminui o inchaço os hematomas e os riscos pós operatórios como a hemorragia.

 

É essencial para uma boa recuperação que o paciente obedeça as orientações do médico, sendo elas principalmente a ausência de esforços físicos nas primeiras duas semanas (dirigir, levantar o braço, fazer força, pegar peso) e a volta dos exercícios físicos após 1 mês.

 

Atividades simples como tomar banho, trabalhar (no escritório após 1 semana) e levantar-se podem ser feitas tranquilamente, lembrando que movimentos bruscos podem causar dores e hematomas.

O que é melhor? Tratamento medicamentoso ou fazer a cirurgia de ginecomastia?

 

O tratamento medicamentoso existe principalmente para tratar a causa da ginecomastia, que é a desordem hormonal. Os remédios nem em todos casos são responsáveis por resolver a ginecomastia em si. Alguns homens que passaram pelo tratamento medicamentoso da ginecomastia podem estar com os hormônios em ordem e mesmo assim ainda apresentarem algum aumento mamário.

 

Dessa forma, os remédios que são usados no tratamento de ginecomastia não são para a diminuição da ginecomastia e sim a regularização dos hormônios. Lembrando que a ginecomastia é um sintoma hormonal, em grande parte dos casos a terapia medicamentosa diminui o problema e até extirpa-o.

 

A cirurgia por sua vez irá remover completamente as glândulas mamárias do homem e tirar a gordura no local se houver. De certa forma, a cirurgia possui resultados definitivos, já que mesmo se o problema hormonal voltar as mamas masculinas jamais irão ter as glândulas aumentadas novamente.

 

Antes de escolher entre a cirurgia ou a terapia medicamentosa é necessário consultar o médico especializado em ginecomastia. Existem casos em que a cirurgia é uma forma de tratamento mais objetiva e necessária, enquanto que em outros casos apenas o uso de medicamentos irá resolver a ginecomastia.

Conte com o Dr. Wendell Uguetto

Com o Dr. Wendell Uguetto, você vai receber todo o atendimento necessário para cuidar da sua Ginecomastia. Além disso, através de um exame completo e detalhado, prescrição médica do tratamento e acompanhamento mensal e completo.

 

Faça já sua avaliação com o Dr. Wendell Uguetto!

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.