Testosterona em gel tem ginecomastia como efeito colateral

Tempo de leitura: 2 minutos

Um medicamento denominado “Androgel”, que consiste em testosterona em forma de gel, tem adquirido espaço nas academias. De acordo com a farmacêutica que o fabrica, a Besins, o uso do Androgel é indicado em caso de deficiência de testosterona no organismo, como em casos de hipogonadismo masculino. Entretanto, o produto tem chamado a atenção de fisiculturistas, atletas e lutadores que desejam mais músculos, mais disposição e melhores desempenhos.

Por se tratar de um gel de uso tópico, essa formulação de testosterona não segue as mesmas normas das versões injetáveis. Assim, a comercialização do produto não exige retenção de receita em farmácias, permitindo um livre comércio, sem maiores dificuldades. Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), essa configuração, no entanto, pode ser alterada dependendo da demanda da sociedade.

Benefícios

  • Normalização em pessoas com deficiência do hormônio
  • Melhora de autoestima e disposição
  • Aumento de massa muscular
  • Redução de gordura e aumento na definição dos músculos
  • Aumento da libido

Efeitos Colaterais

  • Agravamento de epilepsia e enxaqueca;
  • Calvície;
  • Aumento na irritabilidade;
  • Apneia;
  • Ronco;
  • Maiores chances de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto;
  • Ginecomastia (aumento das mamas em homens);
  • Aumento no apetite (e consequente ganho de peso);
  • Diarreia;
  • Aumento na próstata e maiores chances de desenvolvimento de câncer no órgão;
  • Secura na pele e alergias;
  • Cãibras;
  • Para atletas: alterações em exames laboratoriais e risco de doping;
  • Para mulheres: risco de virilização (alterações na voz, crescimento de pelos) e aumento do clitóris;
  • Para crianças: risco de entrada precoce na puberdade e estatura reduzida.

Problemas

Nitidamente, a lista de efeitos colaterais é mais extensa do que a de benefícios da testosterona em gel, o que gera questionamentos acerca do produto. Segundo especialistas, a utilização de hormônios de forma artificial pode reduzir ou interromper sua produção natural no organismo, o que pode desencadear uma série de consequências que inclui a infertilidade.

Como se diz popularmente, “o que vem fácil vai fácil”, isto é, maneiras de obter aumento de massa muscular que priorizam a rapidez em detrimento da saúde produzem resultados difíceis de serem mantidos, quase sempre acompanhados por efeitos colaterais. Na busca por melhor forma física, recomenda-se sempre o acompanhamento médico para evitar desdobramentos desagradáveis.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.