Graus de Ginecomastia

Tempo de leitura: 3 minutos

A ginecomastia é uma condição que sem dúvida tem demonstrado ser bastante penosa para os homens de nossa sociedade, nos mais diversos graus etários. Isto porque estamos em uma sociedade que dá grande valor a beleza a estética nos mais diversos ambientes. Caracterizadas pelo desenvolvimento atípico das mamas masculinas, por motivos hormonais ou por simples acúmulo de massa adiposa, pode por vezes causar alguns dramas psicológicos, basicamente relacionados com a aparência efeminado indesejada que dá ao corpo masculino.

Como toda e qualquer condição clínica ela pode ser classificada em diversos graus e em diversas fases, sendo algumas passageiras e outras mais agudas. Isso significa que podem ser curadas pela própria normalização que o corpo com o avanço da idade, embora também possa ser provocada pelo abuso de esteroides e uso de outras drogas.

De toda a forma ela pode aparecer também com o avançar da idade.  Mesmo assim ela pode ser classificada em quatro graus, que têm como base a quantidade de acumulação de tecido glandular mamário e adiposo. Também pode surgir em apenas uma mama, apesar de ela ser mais comum bilateralmente.

O tratamento e até mesmo a intervenção cirúrgica estão alicerçados em que estágio e grau estão a ginecomastia, sendo que cirurgia é relativamente segura e os pacientes têm enormes ganhos psicológicos com a resolução de seu desconforto.  

Ginecomastia de Grau I

Neste conjunto de casos, surge uma massa de tecido glandular mamário concentrada em forma de um botão, localizada à volta da auréola. Não há grande acumulação de pele ou de gordura, constituindo uma ginecomastia bastante simples de retirar.

Ginecomastia Grau II a e b

Nestes graus em particular a massa é bastante difusa e com maior acumulação de gordura. Portanto, não há uma zona bem definida sendo por isso muito mais apropriado a lipoaspiração do que a cirurgia plástica. De acordo com essa o quantidade dessa acumulação é que será classificada de a ou b, sendo a segunda uma concentração maior que a primeira.

Ginecomastia Grau III

Semelhante a ginecomastia de Grau II, nesta situação a massa de tecido mamário é bastante difusa. Só que, há também um grande excesso de pele. Tal condicionante torna este grau de ginecomastia mais complexa em termos de intervenção cirúrgica, sendo preciso fazer várias incisões na pele em redor da auréola.  E mais, pode ser ainda necessário ajustar o posicionamento da associação auréola/mamilo.

Caso se opte pela intervenção cirúrgica, recomenda-se que sejam aplicadas em casos em que ela já se instalou por 18 meses sem regressões espontâneas, e pacientes com risco de carcinoma (câncer), pessoas que perderam grande quantidade de peso (por exemplo, por meio de dietas ou cirurgias para redução de estômago).  A cicatriz é inevitável, mas depende do grau de ginecomastia e quase sempre é pequena. A alta é geralmente no mesmo dia e a duração da cirurgia é de cerca de 90 minutos a 04 horas.

Por fim, sempre é importante lembrar que a consulta a um médico especialista é imprescindível ao diagnóstico adequado.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.