Ginecomastia: quando é preciso operar?

18/12/2021

A ginecomastia, que é o crescimento anormal das mamas em homens, é uma condição de saúde que pode afetar homens de todas as idades, desde recém-nascidos até idosos. Embora não seja considerada grave, pode trazer importantes consequências psicológicas.

Isso porque afeta a aparência e a autoestima, aspectos delicados principalmente durante a juventude. É neste contexto que muitos pacientes ficam em dúvida sobre quando é preciso operar a ginecomastia. Afinal, o procedimento é indicado para todos os casos?

Quais as causas da ginecomastia?

Em homens e mulheres, a glândula mamária é formada por tecido mamário e gordura. No entanto, nas mulheres a glândula é desenvolvida através do estímulo de hormônios femininos, que preparam os seios para a produção de leite, quando necessário.

Já nos homens esse estímulo não acontece, fazendo com que as glândulas sejam subdesenvolvidas. Sendo assim, a ginecomastia é consequência do desequilíbrio entre hormônios femininos e masculinos, mas pode estar relacionada a outros fatores:

  • radioterapia;
  • quimioterapia;
  • hipertireoidismo;
  • doenças hepáticas;
  • insuficiência renal;
  • defeitos de cunho congênito;
  • efeitos e reações a medicamentos;
  • uso de esteroides e/ou anabolizantes;
  • tratamento hormonal para câncer de próstata.

Esse desequilíbrio pode acontecer em diferentes fases da vida do homem. É por esse motivo que a ginecomastia tende a ser passageira em crianças e adolescentes, durante a puberdade. Mas, isso não significa dizer que não mereça atenção, acompanhamento e cuidados especializados.

Cirurgia de ginecomastia: quando fazer e como funciona

Cirurgia de ginecomastia: quando fazer e como funciona

O tratamento da ginecomastia pode ser clínico ou cirúrgico. No primeiro caso, o objetivo é acompanhar a regulação dos níveis de hormônio no organismo, ou então, reduzir a dor e a sensibilidade nas mamas. Já o segundo consiste na remoção das glândulas mamárias. 

A cirurgia de ginecomastia é um tratamento definitivo, indicado nos casos em que não ocorre a regressão do aumento das mamas de maneira espontânea, quando os medicamentos não surtem efeitos, ou então, são contraindicados.

Nas fases 1 e 2A, quando não há sobra de pele, a retirada da glândula é realizada através de incisão periareolar inferior de Webster. Na fase 2B, com moderada quantidade de glândula e pele, é feita uma incisão periareolar circular completa e na fase 3 são necessárias maiores ressecções de pele.

Nos casos de ginecomastia mista, ou seja, quando além do componente glandular o paciente apresenta acúmulo de gordura na região das mamas, a cirurgia de correção da ginecomastia pode ser combinada com a lipoaspiração para retirar o tecido adiposo.

É necessário ressaltar que a cirurgia de ginecomastia pode ser adiantada como primeira opção de tratamento. Em geral, quando o jovem adolescente apresenta intenso sofrimento físico e/ou psicológico, o procedimento cirúrgico pode e deve ser realizado o quanto antes. 

Dúvidas sobre a cirurgia de ginecomastia? Agende uma consulta

A indicação da correção cirúrgica da ginecomastia deve ser feita por um cirurgião plástico experiente em cirurgias para homens, após uma detalhada avaliação do histórico de saúde do paciente. Para mais informações, agende uma consulta com o Dr. Wendell Uguetto

0/5 Singular: (0 Análise)
Leia mais