Funções da Testosterona

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Quando se fala em hormônios, a testosterona é provavelmente um dos mais conhecidos pelas pessoas. Apesar dos conhecimentos gerais, que sempre associam a testosterona às características masculinas, nem todos conhecem todas as suas funções e a importância de sua sintetização para o organismo. Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre esta importante substância.

Como é produzida?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, todos nós, homens e mulheres, produzimos testosterona. É fato, no entanto, que a produção do hormônio é muito maior nos homens do que nas mulheres. Nos homens, a produção da substância ocorre nas células intersticiais de Leydig, nos testículos, sendo regulada pelo hormônio luteinizante (LH). Um fato curioso é que a produção de testosterona é mais intensa no período da manhã do que à tarde ou durante a noite.

Funções

A testosterona é o principal hormônio sexual masculino. A substância é responsável pelo desenvolvimento dos tecidos reprodutores masculinos: o pênis, os testículos e a próstata. Também estimula a produção de espermatozoides e atua no desenvolvimento das características sexuais secundárias, como engrossamento da voz, aumento na quantidade de pelos, aumento na massa óssea e desenvolvimento muscular, já que acelera o metabolismo de gorduras.

Há estudos que associam a produção de testosterona com comportamentos dominantes, impulsividade e competitividade. O hormônio também estimula a produção de glóbulos vermelhos e aumenta a libido. Os níveis de testosterona tendem a cair gradativamente a partir de uma certa idade, geralmente entre os 30 e os 40 anos. A partir dessa faixa etária, é necessário realizar exames rotineiros de dosagem do hormônio.

Testosterona e Ginecomastia

A deficiência de testosterona pode desencadear uma série de consequências, como baixo interesse sexual, cansaço excessivo, alterações de humor, dificuldade de aumentar a massa muscular, perda de massa óssea e baixo crescimento de pelos.

Quando há um desequilíbrio entre a testosterona e o estrogênio (hormônio relacionado ao desenvolvimento de características femininas), pode haver, nos homens, um aumento nas glândulas mamárias – condição conhecida como ginecomastia. Não se trata de um problema grave, mas a condição pode ser constrangedora e gerar problemas de autoestima. Assim, se a condição não regredir de forma espontânea, recomenda-se procurar um médico que possa indicar o tratamento mais adequado: uso de medicamentos ou a cirurgia para ginecomastia.

Esses desequilíbrios hormonais são mais comuns em algumas fases específicas da vida, como o início da puberdade e também a partir dos 50 anos. Também podem ser desencadeados por outros problemas endócrinos e uso de substâncias, como esteroides anabolizantes, alguns medicamentos e drogas.

Comentários do Facebook