Entenda as diferenças entre os graus de ginecomastia

Tempo de leitura: 2 minutos

A ginecomastia não é um problema grave, porém, é motivo de bastante desconforto e problemas de autoestima e insegurança quanto à própria aparência. Trata-se de um aumento nas glândulas mamárias dos homens, desencadeado por desequilíbrios hormonais.

Esse problema, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não atinge exclusivamente os adolescentes. Na verdade, a condição pode ser comum em homens que chegam à terceira idade, por conta da queda na produção de testosterona, e também em recém-nascidos, ainda por conta de exposição ao estrogênio materno.

O fato é que, independentemente da idade, a ginecomastia é uma condição desagradável que, quando não regride de forma espontânea, exige tratamentos medicamentosos ou cirúrgicos. A decisão acerca da melhor forma de tratamento tem a ver com o grau de evolução do quadro. Conheça as diferenças entre os principais estágios de desenvolvimento da ginecomastia:

Grau 1

O primeiro grau da ginecomastia é caracterizado por um aumento discreto nas mamas masculinas. A massa da glândula mamária não ultrapassa o valor de 250g. Apesar de ser um aumento pequeno, já é possível perceber que a mama fica com um aspecto “saltado”. Isso faz com que as camisetas mais justas fiquem marcadas, o que já gera um certo constrangimento. Nesses casos, não há sobra de pele. Quando o quadro não passa por regressão espontânea, é recomendado o tratamento medicamentoso.

Grau 2a

O grau 2a registra um aumento maior nas mamas, geralmente com massa entre 250g e 500g. Nesse estágio, o aumento mamário não fica apenas restrito às mamas propriamente ditas, pois já é possível notar um comprometimento em boa parte da região torácica. Isso faz com que as mamas sejam mais facilmente perceptíveis sob a roupa.

Grau 2b

O grau 2b possui basicamente as mesmas condições dos casos de ginecomastia em grau 2a. A diferença é que o estágio 2b inclui um excesso de pele na região torácica, que não é verificado no grau 2a.

Grau 3

O grau 3 é o estágio mais avançado da ginecomastia. Os casos desse grau registram um aumento grande na massa das mamas, superior a 500g. Esse peso causa ptose mamária, um termo médico para mamas “caídas”. Nesse estágio, há sobras de pele que comprometem o aspecto geral do tórax, ficando difícil disfarçar a condição. Como o impacto psicológico tende a ser mais intenso nesse estágio, a cirurgia para remoção da glândula mamária é uma opção recomendável.

Na maioria dos casos, a ginecomastia acomete as duas mamas (bilateral), mas, em algumas ocasiões, pode atingir apenas uma (unilateral). É importante que o médico avalie o grau evolutivo do problema para recomendar o melhor tratamento. Além de descartar causas adjacentes ou a possibilidade de regressão espontânea, também é preciso levar em consideração o estado emocional do indivíduo quanto ao problema que está enfrentando.

Comentários do Facebook