Confira essas dicas para lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia

Tempo de leitura: 6 minutos

A ginecomastia é uma condição que pode afetar homens de todas as idades. Mas, embora seja considerada uma doença benigna, sem maiores consequências para a saúde do paciente, pode afetar profundamente a autoestima e a qualidade de vida.

Por esse motivo, é recomendado que o paciente busque ajuda especializada. Afinal, o aumento anormal das mamas em homens tem tratamento e pode ser revertido definitivamente com a cirurgia de ginecomastia.

O tratamento cirúrgico é considerado um procedimento relativamente simples. No entanto, o paciente pode encontrar algumas dificuldades para lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia. Acompanhe no restante do artigo.

O que causa a ginecomastia em homens?

Primeiramente, antes de falar sobre o que pode ser feito para ajudar o paciente a lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia, é importante entender o que é e o que causa a ginecomastia. Isso porque essas informações são essenciais na definição do tratamento.

O crescimento anormal das mamas masculinas é o que caracteriza a ginecomastia. É uma condição resultante do aumento do volume mamário de componente glandular (glândula mamária), adiposo (gordura), também chamado de pseudoginecomastia, ou misto.

Em relação às causas para o desenvolvimento da ginecomastia, é possível dizer que as alterações hormonais, em especial a queda nos níveis de testosterona, são as principais responsáveis pelo crescimento excessivo das mamas em homens.

Como é feita a cirurgia de ginecomastia 

A cirurgia é o principal tratamento para ginecomastia, indicada para os pacientes que sofrem graves incômodos sociais e psicológicos causados pela doença. O procedimento tem como objetivo remover as glândulas mamárias e o excesso de gordura e pele do local.

Nos casos de ginecomastia verdadeira, quando existe a presença de componente glandular, o tipo de tratamento cirúrgico varia de acordo com o grau de hipertrofia apresentado pelo paciente e da quantidade de sobra de pele no local.

Além disso, nos casos em que o volume mamário é de natureza puramente adiposa (acúmulo de gordura), geralmente é indicada a lipoaspiração. É importante lembrar que o paciente pode apresentar, ao mesmo tempo, componente adiposo e glandular.

Durante a cirurgia de ginecomastia, o cirurgião plástico pode fazer apenas a retirada de uma ou ambas as glândulas mamárias, apenas a retirada da gordura acumulada (no caso de pseudoginecomastia) ou combinar as duas possibilidades.

Quem está apto para a correção cirúrgica da ginecomastia?

Em geral, a cirurgia de ginecomastia é indicada pelo cirurgião plástico em casos de mais de 12 a 18 meses de progressão e que não tiveram regressão completa com o uso de medicamentos ou de forma espontânea. 

No entanto, a cirurgia pode ser adiantada para pacientes com graus avançados da doença, ou então, adolescentes com grandes impactos psicológicos e problemas de autoestima e pacientes que por algum motivo não possam realizar o tratamento medicamentoso.

Quais são os riscos da cirurgia de ginecomastia?

A preocupação dos pacientes sobre como lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia é válida, pois nenhum procedimento cirúrgico está livre de riscos e efeitos colaterais. De modo geral, os maiores riscos em relação ao tratamento são:

  • formação de hematomas;
  • inchaço;
  • equimoses;
  • infecção;
  • abertura da incisão;
  • cicatrizes inestéticas;
  • necrose da pele;
  • quelóides;
  • seroma.

No caso do inchaço, existem algumas dicas muito importantes que podem ajudar o paciente a enfrentar o pós-operatório. Aliás, estas são recomendações médicas que devem ser seguidas à risca para garantir uma recuperação completa.

Dicas para lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia

Antes de mais nada, é importante deixar claro que apresentar inchaço após a cirurgia de ginecomastia é absolutamente normal e esperado. Isso acontece porque o procedimento causa traumas nos tecidos, formando um processo inflamatório que resulta em inchaço.

A boa notícia é que o inchaço resultante de uma cirurgia plástica é temporário. Além disso, seguir algumas recomendações é fundamental para que os pacientes consigam lidar mais tranquilamente com o pós-operatório do procedimento.

Utilizar malhas cirúrgicas

A utilização de cintas ou malhas cirúrgicas é fundamental no pós-operatório de uma cirurgia de ginecomastia. Isso porque a malha é utilizada para dar mais suporte aos tecidos, segurando-os em suas novas posições.

Além disso, a malha cirúrgica facilita a cicatrização e reduz as chances de flacidez. Da mesma forma, a compressão da malha ajuda a desinchar o local, mantendo a circulação da área operada. O coleta deve ser utilizado por, no mínimo, 30 dias.

Evitar atividades pesadas

Após a cirurgia de ginecomastia, o paciente deve evitar movimentos extenuantes e atividades físicas pesadas que envolvam os músculos do peitoral. Esse cuidado é importante para garantir a recuperação do corpo após o procedimento.

Por essa razão, o médico deve fazer uma avaliação pós-operatória antes de liberar a retomada dos exercícios. Em geral, o paciente pode praticar exercícios leves após uma semana de cirurgia, mas isso varia de pessoa para pessoa.

Fazer drenagem linfática

Fazer drenagem linfática também pode auxiliar o paciente a lidar melhor com o inchaço e outros sintomas característicos do pós-operatório de uma cirurgia de ginecomastia. No entanto, a indicação deve ser feita pelo médico.

A drenagem linfática visa reduzir o inchaço do corpo promovendo a retirada rápida de líquidos que se acumulam pelo organismo. Outros benefícios são: melhorar a circulação, aliviar dores e desconfortos, minimizar hematomas e acelerar a cicatrização. 

Evitar movimentos bruscos

Da mesma forma que atividades pesadas e exercícios físicos, os movimentos bruscos e amplos dos braços devem ser evitados até que a cicatrização esteja completa ou que o médico avalie o local da cirurgia e faça a liberação.

É importante manter o repouso recomendado pelo médico para evitar a abertura dos pontos, dores e, até mesmo, interferir negativamente na cicatrização e prejudicar os resultados da cirurgia.

Essas e outras dicas para ajudar o paciente a lidar com o inchaço após a cirurgia de ginecomastia são passadas pelo médico. É por isso que é fundamental buscar orientação com um cirurgião plástico especialista em homens.

Agende uma consulta com um especialista

O Dr. Wendell Uguetto é cirurgião plástico especialista no tratamento cirúrgico da ginecomastia. Para mais informações sobre o diagnóstico e o tratamento da ginecomastia, agende uma consulta e tire suas dúvidas.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.

O que é Ginecomastia?
Causas da Ginecomastia
Graus da Ginecomastia
Tratamento para Ginecomastia
Cirurgia de Ginecomastia