Como Evitar a Ginecomastia: Alimentação

Tempo de leitura: 3 minutos

A Ginecomastia é o termo médico para o aumento das glândulas mamárias masculinas, mais propriamente na região dos mamilos, sejam aumentadas de tamanho, acarretando desconforto físico m alguns dos casos e um efeito colateral estético: uma aparência bastante desagradável e que traz bastante sofrimento àqueles que são afetados por tal doença.

Não são unicamente usuários de esteroides anabolizantes que podem ser acometidos ou ter propensão para desenvolver ginecomastia. Ela, a ginecomastia, pode ocorrer devido a descontroles e balanços anormais nos hormônios. Estudos sugerem alguns alimentos como prováveis desreguladores hormonais, tanto nos homem quanto em mulheres.

Soja

Destaque para a soja, em sua forma texturizada, principalmente, por apresentar fitoestrógenos, substâncias que simulam o estrógeno no corpo. A despeito de todas as vantagens deste alimento, o efeito dessas substâncias no corpo, provoca largo impacto no eixo hormonal, podendo suscitar ginecomastia em homens, aparição precoce de mamas em crianças do sexo feminino, menstruação precoce, entre outros efeitos danosos. Assim sendo, é preciso todo cuidado com a ingestão desses alimentos é válido.

Álcool

Essa substância altera a capacidade do fígado em se livrar do excesso de estrogênio. O lúpulo em cerveja e mandioca possui também fito estrógenos, o que colabora para a incidência da ginecomastia.

Bovinos

Fonte de estrogênio na dieta alimentar, o leite pode constituir coma quase 80% da ingestão de estrogênio.  Afinal, as vacas dão leite durante a gravidez e assim seus níveis de estrogênio estão bem mais elevados. A esse tipo de animais (leiteiros) são administradas regularmente doses de hormônios para aumentar o crescimento destes e a produção de leite. Isso explica porque carnes e laticínios convencionalmente podem contribuir para a ginecomastia.

Cuidado alimentar

Ingerir alimentos ricos em fibras pode ajudar seu corpo a excretar o exagero de estrógeno e, vegetais crucíferos, como brócolis, couve-de-bruxelas e couve-flor podem quebrar estrogênio em uma forma que é facilmente eliminada pelo organismo.

Zinco

Acrescentar ou aumentar alimentos que contêm cálcio e zinco também pode ajudar a combater a ginecomastia, visto que, o cálcio regula a absorção de estrogênio e zinco pode aumentar os níveis de testosterona. Ostras e carne vermelha apresentam altos níveis de zinco, de preferência de origem orgânica.

O feijão é mais um alimento que pode acrescer os níveis de testosterona.

Alimentos cozidos com cúrcuma podem ajudar a aliviar a ginecomastia, presente no açafrão-da-índia. Essa planta herbácea da família do gengibre tem sido bastante pesquisada devido as suas propriedades anticancerígena, anti-inflamatória e antioxidante e pesquisas apontam que ela pode reduzir a sensibilidade do hormônio a um gene participante no câncer de próstata. Mas ainda não há confirmações positivas desse tipo de efeito sobre a ginecomastia.

Os alimentos crus devido a não serem cozidos ou processados, como frutas cruas, legumes, nozes, grãos germinados, legumes e produtos lácteos, contém mais nutrientes, enzimas e antioxidantes em comparação com suas variedades cozidas, processados ​​e pasteurizados.

Caso uma deficiência nutricional ou um excesso de fitoestrógenos seja a causa de sua ginecomastia, comer mais alimentos crus pode auxiliar consideravelmente.

Dois lembretes

Sempre é bom consultar um nutricionista antes de mudar radicalmente a dieta, assessorado e acompanhado por um médico. Esses profissionais devem trabalhar juntos.

Além disso, convém lembrar que aqui estão contidas sugestões para o caso da ginecomastia provocada por condições ou processos ligados à alimentação. Sendo assim causa como medicamentos e uso de anabolizantes necessitam de cuidados diferentes.  Consultar um médico para um diagnóstico adequado e a melhor forma de saber como proceder.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.