Como é feito o diagnóstico da ginecomastia? Confira a explicação

Tempo de leitura: 5 minutos

O aumento excessivo de uma ou ambas as mamas masculinas é uma condição inesperada, que afeta a qualidade de vida dos homens, mas mais comum do que se imagina. De modo geral, pode ser classificada em ginecomastia verdadeira ou pseudoginecomastia. 

Enquanto a ginecomastia é caracterizada pela presença de componente glandular, a pseudoginecomastia é consequência do tecido adiposo, ou seja, acúmulo de gordura. Nos casos em que há presença de componente glandular e adiposo, a ginecomastia é mista.

Na maior parte dos casos, a doença é benigna. Apesar disso, pode estar relacionada a outras condições de saúde que devem ser identificadas e acompanhadas por um médico especialista. Mas, você sabe como é feito o diagnóstico da ginecomastia? Acompanhe.

Ginecomastia: causas, graus e sintomas

Primeiramente, é importante deixar claro que o tratamento da ginecomastia está relacionado às causas e a duração da patologia. Sendo assim, é preciso entender como o aumento das mama acontece antes de falar sobre o diagnóstico e tratamento da condição. 

Antes de qualquer coisa, saiba que a ginecomastia é classificada em graus: grau 1, grau 2A, grau 2B e grau 3. O grau 1 é o mais leve e é caracterizado por um aumento discreto das mamas, mas perceptível ao paciente. 

No grau 2A, o aumento das mamas é maior e acaba comprometendo parte da região toráxica. Já o grau 2B se diferencia porque apresenta excesso de pele na região das mamas. Por fim, o grau 3 é o mais avançado, apresenta mamas caídas e comprometimento do tórax.

As causas da ginecomastia variam conforme a idade do paciente: em recém-nascidos, está relacionada a uma reação do organismo ao estrogênio da mãe; em adolescentes, é um sinal de atraso no aumento dos níveis de testosterona, assim como em adultos mais velhos.

Causas fisiológicas

O desenvolvimento do tecido mamário masculino costuma estar associado a um desequilíbrio entre hormônios masculinos e femininos, o que demanda uma avaliação laboratorial. Na adolescência, geralmente é transitório. 

Causas exógenas

As causas exógenas da ginecomastia têm relação com doenças subjacentes, assim como o uso de alguns medicamentos específicos e consumo de drogas ilícitas, especialmente anabolizantes e esteróides, comuns entre os praticantes de fisiculturismo.

É necessário esclarecer que existem algumas condições de saúde, assim como hábitos de vida e práticas inadequadas, que podem resultar na diminuição dos níveis de testosterona:

  • defeitos de cunho congênito;
  • doenças hepáticas crônicas;
  • problemas na tireoide;
  • tratamentos de cunho hormonal;
  • efeitos e reações a medicamentos;
  • ampla exposição ao estrogênio;
  • exposição a esteróides e anabolizantes.

Além disso, o crescimento anormal das mamas masculinas também está associado ao excesso de peso e a obesidade. Neste caso, o aumento é causado por acúmulo de gordura. Quando há presença mista, de gordura e glândula, chama-se ginecomastia mista.

Diagnóstico da ginecomastia: identificando a condição

O diagnóstico da ginecomastia é feito, basicamente, através de uma avaliação clínica detalhada. Neste sentido, o médico deve realizar uma inspeção estática e dinâmica, assim como a palpação da (s) mama (s) afetada (s). A ginecomastia verdadeira caracteriza-se por:

  • tecido firme;
  • bilateralidade;
  • dor e sensibilidade.

Já a pseudoginecomastia, por exemplo, não apresenta tecido firme. Vale lembrar que um mesmo paciente pode apresentar ginecomastia de componente misto. Desse modo, o diagnóstico pode ser mais difícil, exigindo a avaliação de um médico experiente.

Além da avaliação clínica, com base na palpação da mama, a realização de exames de sangue e imagem também faz parte da detecção da ginecomastia. Afinal, o crescimento das mamas pode estar associado a causas fisiológicas e causas exógenas.

Enquanto os exames de sangue identificam alterações hormonais, os exames de imagem (ultrassom das mamas e raio x de tórax) são importantes para detectar se há aumento das glândulas, assim como outras doenças, como câncer, tumores e massas no local. 

Tratamento medicamentoso ou cirurgia de ginecomastia?

cirurgia de ginecomastia

Após o diagnóstico da ginecomastia, o próximo passo consiste na definição do tratamento. O tratamento da ginecomastia pode ser conservador, medicamentoso ou cirúrgico e a escolha deve considerar alguns importantes fatores. 

Como dissemos, em adolescentes a condição costuma ser transitória. Entretanto, caso haja sintomas, como dores e sensibilidade, assim como problemas psicológicos motivados pelo aumento das mamas, o paciente não só pode como deve ser tratado.

Tratamento conservador 

O tratamento conservador é indicado para pacientes adultos ou adolescentes com ginecomastia que não apresentam sintomas, como dores e sensibilidade, nem incômodos causados pelo crescimento das mamas. 

Tratamento medicamento 

Já o tratamento medicamentoso tem  o objetivo de controlar o desequilíbrio hormonal e/ou aliviar os sintomas. Neste caso, deve ser iniciado o quanto antes, pois ginecomastias instaladas há mais de 12 a 18 meses não respondem bem aos medicamentos.

Tratamento cirúrgico

Por fim, a cirurgia de ginecomastia é o tratamento definitivo, uma vez que promove a remoção da glândula mamária de uma ou ambas as mamas. Geralmente é indicado para adultos, mas adolescentes também podem ser submetidos ao procedimento. 

Em resumo, o melhor tratamento para ginecomastia é aquele que responde às expectativas do paciente. Se há incômodo com o aumento das mamas, é fundamental saber que a ginecomastia tem tratamento e tratamento definitivo.

Ginecomastia tem tratamento: consulte o Dr. Wendell Uguetto

A cirurgia de ginecomastia é considerada um procedimento estético, embora haja claro ganho funcional e melhora na qualidade de vida. Desse modo, deve ser realizado por um cirurgião plástico especialista em cirurgia plástica masculina.

O Dr. Wendell Uguetto é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e referência no atendimento de pacientes diagnosticados com ginecomastia. Para mais informações, agende uma consulta e faça uma avaliação completa com um especialista. 

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.

O que é Ginecomastia?
Causas da Ginecomastia
Graus da Ginecomastia
Tratamento para Ginecomastia
Cirurgia de Ginecomastia