A Ginecomastia para os homens da terceira idade

Tempo de leitura: 2 minutos

Ao contrário do que se pode imaginar, a Ginecomastia também pode atingir os homens na terceira idade.

Tudo porque nessa fase da vida eles também estão sujeitos a passar por desequilíbrios nos seus níveis hormonais e, sendo assim, serem acometidos pelo crescimento unilateral ou bilateral de suas mamas.

Ainda que não se trate de algo prejudicial para a saúde, esse tipo de problema costuma causar muito constrangimento. Então, o melhor a fazer nessas horas é procurar a ajuda de um especialista para saber realmente do que se trata e a melhor forma de conduzir o tratamento.

A hipótese pode se referir a um caso de Ginecomastia ou Lipomastia, que se distinguem entre si pelo fato da primeira ter o aumento das glândulas das mamas representado por um aspecto duro, com o tamanho acima do normal, e a segunda, também caracterizada pelo aumento das mamas, mas por causa do acúmulo de tecido adiposo (gordura) acumulado na região, e geralmente com o aspecto mais mole.

Quando confirmado o diagnóstico de Ginecomastia, por exemplo, o paciente pode passar por dois tipos de tratamento: o medicamentoso, desde que a enfermidade não supere 18 meses, ou o cirúrgico, se a duração do problema tiver mais de 18 meses, e sem sinal de regressão. Neste caso, o procedimento costuma ser simples e tem como objetivo retirar o componente glandular excessivo, mas será preciso considerar antes a saúde do paciente, mediante avaliação médica e exames.

Quando saber qual é o momento de procurar ajuda?

Além do incômodo ou constrangimento causado pelo crescimento das mamas masculinas, o homem pode fazer um teste básico para saber se existe a possibilidade de ser Ginecomastia ou, por exemplo, Pseudoginecomastia, caracterizada pelo acúmulo de gordura nas glândulas mamárias dos homens, por conta do aumento de peso.

A melhor forma de saber em quais dos dois casos o problema pode ser referir é apalpar a área das mamas, perto da aréola. Se a região estiver mole é porque há gordura, ou seja, é Pseudoginecomastia. Agora se ela estiver dura, densa ou até mesmo dolorida, pode se tratar de Ginecomastia.

Independente de ser um problema ou outro, um médico especialista precisa ser consultado.

Comentários do Facebook