Quantos e quais são os tipos de ginecomastia e como tratá-los

Tempo de leitura: 5 minutos

A ginecomastia é um distúrbio caracterizado pelo crescimento anormal das mamas masculinas. Por esse motivo, a condição afeta profundamente a autoestima e a qualidade de vida dos pacientes. A boa notícia é que existe tratamento.

No entanto, é necessário estabelecer as diferenças entre os tipos de ginecomastia mais comuns para que seja possível identificar as causas, separar a ginecomastia verdadeira da pseudoginecomastia e determinar a melhor opção de tratamento. 

O que causa a ginecomastia em homens?

Antes de mais nada, é importante esclarecer que existe uma certa confusão quando o assunto é o crescimento das mamas em homens. Isso porque o acúmulo de gordura, muitas vezes motivado pelo excesso de peso, pode confundir o diagnóstico.

No caso do aumento das mamas de componente exclusivamente adiposo (gordura), a condição é chamada de lipomastia ou pseudoginecomastia. Já a ginecomastia verdadeira é causada pela presença de componente glandular.

As causas para a manifestação da ginecomastia masculina são alterações hormonais que podem se manifestar em diferentes fases da vida. Por essa razão, pode acontecer como sinal de que o aumento nos níveis de testosterona está atrasado ou muito baixo.

É importante dizer que as causas da ginecomastia são classificadas em fisiológicas (alterações do próprio organismo), idiopáticas (causa totalmente desconhecida), patológicas (tumores, uso de medicamentos ou drogas específicas, entre outros).

Conheça os principais tipos de ginecomastia  

De modo geral, são utilizadas pelos médicos duas classificações para identificar os tipos de ginecomastia e como tratá-los: uma classificação clínica (grau 1, grau 2A, grau 2B e grau 3) e uma classificação histológica (tipo florido, tipo fibroso, tipo intermediário).

A ginecomastia de grau 1 tem aumento discreto da mama, sem sobra de pele. No grau 2A, há aumento moderado, sem sobra de pele, ao contrário do grau 2B, em que ocorre excesso de pele. Por fim, no grau 3 há grande aumento da mama combinado com excesso de pele.

Na classificação histológica, é possível identificar para quais pacientes o tratamento medicamentoso da ginecomastia é mais indicado. Basicamente, apenas ginecomastias em atividade, ou seja, do tipo fibroso ou intermediário, terão resposta ao uso de medicações.

Ginecomastia de tipo florido

A ginecomastia de tipo florido é a forma ativa da ginecomastia, quando há intensa atividade de proliferação dos tecidos mamárias. A duração deste tipo de ginecomastia é curta, geralmente inferior a quatro meses.

Ginecomastia de tipo fibroso

Por sua vez, a ginecomastia de tipo fibroso é a forma inativa da condição, na qual há presença de fibrose e as alterações do tecido mamário já se estabilizaram. É o caso de pacientes que permanecem com aumento das mamas após 1 ano de manifestação.

Ginecomastia de tipo intermediário

Por fim, na classificação histológica temos a ginecomastia de tipo intermediário, que é uma forma mista de ginecomastia que apresenta áreas floridas e áreas fibróticas. É encontrada em casos entre 5 a 12 meses de duração.

Além do tratamento medicamentoso, existe o tratamento cirúrgico da ginecomastia. A cirurgia de ginecomastia é indicada quando o tempo de evolução da condição é maior que 1 ano, quando grande parte do tecido mamário é de origem fibrótica. 

Como tratar cada tipo de ginecomastia?

O tratamento da ginecomastia, seja medicamentoso ou cirúrgico, é seguro e eficiente e deve ser prescrito pelo médico que acompanha o paciente. No caso do tratamento medicamentoso, normalmente o paciente é acompanhado por um endocrinologista.

Por sua vez, a cirurgia de ginecomastia é considerada um procedimento estético. Por esse motivo, deve ser indicada e executada por um cirurgião plástico especializado em homens. A técnica cirúrgica também pode variar de acordo com o tipo de ginecomastia.

Tratamento medicamentoso da ginecomastia

Em geral, o tratamento medicamentoso da ginecomastia é indicado para os tipos fibroso ou intermediário, quando a hipertrofia mamária é dolorosa, incapacitante, não melhora com analgésicos comuns e causa intenso constrangimento de ordem psicossocial.

Existem três classes de medicamentos indicados para casos de ginecomastia, sendo os andrógenos (testosterona, dihidrotestosterona, danazol), inibidores de aromatase (anastrozole, letrozole) e antiestrogênicos (clomifeno, tamoxifeno, raloxifeno).

Um dos medicamentos mais utilizados é o tamoxifeno, um antiestrogênico que tem demonstrado grande eficácia no tratamento da ginecomastia, especialmente no início, quando a condição começa a se manifestar. 

Tratamento cirúrgico da ginecomastia

O tratamento cirúrgico da ginecomastia geralmente é indicado para casos de mais de 12 a 18 meses de progressão e que não regrediram completamente de forma espontânea ou com o uso de medicamentos, como os citados anteriormente.

Apesar disso, é necessário esclarecer que a cirurgia de ginecomastia pode ser antecipada e indicada para adolescentes, especialmente para os pacientes que apresentam grandes impactos psicológicos motivados pela condição.

As causas subjacentes, tais como excesso de peso, tumores, consumo de substâncias como hormônios, anabolizantes, medicamentos, álcool ou maconha devem ser tratadas previamente antes da realização do procedimento cirúrgico.

O tratamento cirúrgico tem como objetivo remover completamente o excesso de gordura e pele na região das mamas e/ou a glândula mamária de uma ou ambas as mamas. Sendo assim, trata-se de um tratamento que corrige definitivamente a ginecomastia.

Fale com um especialista no tratamento da ginecomastia

A ginecomastia é considerada benigna, mas pode causar intenso sofrimento psicológico e prejudicar a autoestima e a qualidade de vida dos pacientes, principalmente durante a adolescência. Por essa razão, deve ser acompanhada por um especialista. 

No caso do tratamento cirúrgico, o ideal é buscar um profissional que seja especializado em procedimentos estéticos para o público masculino. O Dr. Wendell Uguetto é referência no tratamento cirúrgico da ginecomastia. Para mais informações, agende uma avaliação.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.

O que é Ginecomastia?
Causas da Ginecomastia
Graus da Ginecomastia
Tratamento para Ginecomastia
Cirurgia de Ginecomastia