Pseudoginecomastia e ginecomastia: o que saber?

Tempo de leitura: 8 minutos

O crescimento anormal das mamas masculinas, também chamado de ginecomastia, é um problema que pode atingir os homens em qualquer fase de suas vidas e pelo menos 40% dos homens irão apresentar esse problema em alguma fase da vida. É importante lembrar que não é qualquer aumento na região que pode ser considerado ginecomastia e é o médico especialista nessa área ou cirurgião que irá diagnosticar, tratar e acompanhar o caso da melhor forma. É importante lembrar que os exames são muito importantes para que seja possível perceber se trata se um quadro de ginecomastia ou pseudoginecomastia, que por sua vez é um problema muito semelhante mas possui outras causas e formas de tratamento, consequentemente.

Ginecomastia ou pseudoginecomastia: é preciso diferenciar esses dois problemas

Como dito anteriormente, a ginecomastia e a pseudoginecomastia são problemas parecidos e que possuem características semelhantes, gerando assim diversos problemas de autoestima nos pacientes, assim como problemas sociais e distanciamento. Alguns pacientes, por exemplo, podem desenvolver distúrbios alimentares, estresse e até mesmo depressão em casos mais graves. Para você conhecer mais esses problemas e entender como fazer para tratá-los da melhor forma, criamos esse material. Confira e entenda se você possui ginecomastia ou pseudoginecomastia:

O que é ginecomastia?

Ginecomastia é um problema caracterizado pelo aumento do tecido mamário dos homens. Ao contrário do que muitos podem pensar, esse problema é devido ao excesso de tecido mamário, não ao excesso de gordura. Na ginecomastia, no local onde deveria ter uma pequena camada de gordura, tem na verdade a glândula mamária avantajada, que tem esse aumento causado pela desordem da testosterona e estrogênio, os hormônios sexuais de homens e mulheres, respectivamente.

A ginecomastia pode ser causada por vários problemas e até mesmo pela puberdade, onde há uma grande mudança nos hormônios do garoto, pois ele está transicionando da fase infantil para a adulta, sendo chamada de ginecomastia puberal ou transitória, pois em grande parte dos casos essa mudança hormonal logo volta ao normal e a condição é curada. Deve-se lembrar que a ginecomastia transitória pode haver necessidade de tratamento, e o acompanhamento deve ser feito em todos os casos, pois apenas o médico possui conhecimento suficiente para avaliar se o problema está regredindo ou não.

Por falar em mudanças hormonais, bebês podem apresentar ginecomastia, assim como os idosos. Nessas duas fases da vida podem haver mudanças na quantidade de hormônios masculinos no corpo do indivíduo, inclusive nos idosos, que sofrem de andropausa e podem passar por outros problemas como a falta de desejo sexual e até mesmo impotência. É importante procurar o médico e informar o que está acontecendo.

A ginecomastia também pode acontecer sem uma causa definida, sendo chamada assim de ginecomastia idiopática, um problema que precisa ser fortemente investigado, para que o paciente seja tratado da melhor forma. Algumas pessoas podem acreditar que em casos idiopáticos não há cura, mas a ginecomastia possui cura em todas as suas formas.

A ginecomastia pode ser causada por fatores químicos: anabolizantes apresentam ginecomastia em 50% dos usuários em média, isso porque aumenta grandemente os níveis de testosterona do corpo, que pode apresentar efeito contrário: o corpo para de produzir esse hormônio momentaneamente e pode até mesmo transformar esse excesso de testosterona em progesterona, gerando assim uma grande desordem dos hormônios masculinos. A ginecomastia é um dos efeitos desse problema, que pode gerar outros sintomas como falta de desejo sexual e impotência.

Outros fatores químicos que podem ser citados são: remédios, drogas e alcoolismo. Existem alguns remédios que geram problemas hormonais, assim como algumas drogas também podem gerar problemas desse tipo. É importante salientar que no caso do alcoolismo, a prática de beber indiscriminadamente não é o que causa a ginecomastia diretamente, mas o alcoolismo causa problemas de curto e longo prazo aos rins e fígado, que por sua vez, podem causar problemas hormonais no paciente.

Por último e não menos importante, a obesidade pode também causar a ginecomastia, isso porque a grande ingestão de gordura, além de causar outros diversos problemas para a saúde do paciente, pode gerar também um problema hormonal. Isso porque existe uma enzima chamada aromatase no tecido adiposo (gordura), que é responsável por transformar andrógenos em estrógenos. Na obesidade, por haver excesso de gordura, há também um excesso de aromatase, com a qual uma grande proporção de andrógenos é convertida, o que leva a um excesso relativo de estrogênio, o que leva à ginecomastia que pode acontecer na obesidade.

Obesidade e ginecomastia: é preciso tirar algumas dúvidas

Como citado acima, a ginecomastia pode ser causada por diversos problemas e um deles é a obesidade. Mas sobre essa causa em específico, é importante citar que a obesidade por sua vez também causa a pseudoginecomastia e em pacientes com sobrepeso existe uma grande confusão para o paciente e seus familiares diferenciarem ambos os problemas. É importante citar que o acúmulo de gordura na região das mamas do paciente não é ginecomastia, é pseudoginecomastia. Sendo assim, o paciente com sobrepeso precisa se atentar e procurar um médico para poder diferenciar ambos os quadros e recomendar os tratamentos melhores para cada problema.

E a pseudoginecomastia, o que é?

Já falamos sobre a ginecomastia e suas causas, mas e a pseudoginecomastia? Esse problema é menos grave e não é uma doença! Isso mesmo, a pseudoginecomastia é um problema mais simples. A pseudoginecomastia também gera aumento das mamas masculinas, mas unicamente por causa do excesso de gordura na região. Sendo assim, esse problema é nada menos que um excesso de gordura localizada nas mamas que pode acontecer por causa da obesidade ou do aumento de peso do homem.

Sendo assim, não é necessária uma terapia medicamentosa ou cirurgia de retirada das glândulas mamárias. A perda de peso de forma consciente e acompanhadas pelos profissionais corretos é ideal, assim como a prática de esportes, alimentação saudável e mudança de hábitos.

Há pacientes, que mesmo perdendo peso e tendo uma vida com melhores hábitos, podem continuar com resquícios de gordura localizada. Eles podem optar pela cirurgia de lipoaspiração, que consiste na inserção de pequenas cânulas na região das mamas que irão sugar a gordura da região, acabando assim com a pseudoginecomastia. Portanto, deve ser lembrado que se o paciente voltar a ganhar peso, pode ter o problema novamente! Sendo assim, manter o peso ideal é bom tanto para a saúde como para a questão estética do paciente.

É importante salientar que mesmo que não seja uma doença e nem tenha outros sintomas como a ginecomastia, a pseudoginecomastia pode causar diversos problemas emocionais para o paciente, que precisa ser apoiado pelos seus familiares e amigos, assim como ter orientações corretas de profissionais para poder se livrar desse problema da melhor forma possível. A pseudoginecomastia precisa de atenção e de ser levada a sério. O paciente precisa saber que esse problema, assim como a ginecomastia, não é grave e precisa ser tratado também!

Pseudoginecomastia e ginecomastia: o que saber? | Ginecomastia Tratamento Dr. Wendell Uguetto

Como diferenciar ginecomastia de pseudoginecomastia?

Agora que falamos sobre esses diferentes problemas, que aparentemente são muito parecidos, é preciso citar que eles são diferentes quando examinados. A ginecomastia pode ser vista em exames de imagem, assim como indica alterações hormonais nos exames de sangue que o paciente fizer, já a pseudoginecomastia não apresentará alterações nos exames, assim como também pode ser diferenciada por outras formas.

Fisicamente, a diferença pode ser sentida por apalpamento: na ginecomastia clássica, o crescimento das mamas é causado pelo volume excessivo de tecido mamário, enquanto na pseudoginecomastia, há um aumento na gordura corporal. Uma maneira fácil de distinguir é sentir o tecido atrás da aréola. Se é duro e denso, provavelmente é ginecomastia. Se é macio e difuso, provavelmente é pseudoginecomastia, já que o local está preenchido de gordura localizada.

Deve-se lembrar, portanto, que é essencial que o paciente consulte o especialista para poder ser diagnosticado corretamente. Se uma pessoa que sofre de ginecomastia ter um diagnóstico incorreto pode continuar com o problema e até mesmo sofrer pioras, já que o que causa as desordens hormonais pode ser algo maior como uma doença. É importante lembrar que a ginecomastia é um sintoma de um problema maior, que portanto, precisa de tratamento, seja ele medicamentoso ou cirúrgico.

Procurar ajuda médica é mais do que essencial e não é necessário ter vergonha! Milhões de homens e adolescentes sofrem desse problema ao redor do mundo, portanto, os especialistas estão acostumados a lidar com esse problema todos os dias. Contar com os médicos, familiares amigos e psicólogos é muito importante para vencer tanto a ginecomastia, como a pseudoginecomastia!

Agende uma consulta com Dr. Wendell Uguetto

Dr. Wendell possui toda a experiência necessária para fazer o correto tratamento e acompanhamento mensal e completo tanto da ginecomastia, como da pseudoginecomastia. As novas formas de tratamento possuem maiores porcentagens de sucesso, além de que se for necessária a cirurgia, ela possui cicatrizes imperceptíveis. Entre em contato!

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.