O crescimento excessivo das mamas no homem é normal?

Tempo de leitura: 2 minutos

Quando o homem é adolescente, ele se depara com diversas mudanças em seu corpo. Algumas variáveis controláveis, outras não, como os sintomas da puberdade em que p corpo muda, a voz engrossa, pelos nascem, etc.

Por vezes o corpo pode ganhar peso, como também pode perder. No caso de ganho de peso, todo o corpo tende a distribuir a gordura por igual. Contudo, é provável que em alguns homens ela possa se localizar mais em algum lugar do que em outros.

Toda essa mudança é natural e faz parte da idade, mas é importante sempre estar atento a mudanças exageradas e desconfortáveis. Como, com o ganho peso, a gordura do corpo fique excessivamente localizada nas mamas, é preciso observar se há algum outro problema. Mais ainda, quando o aumento de peso não é tão significativo assim.

Esse crescimento excessivo pode ser ginecomastia. Na maioria dos casos ela se desenvolve na adolescência, quando é natural. Mas também pode ser causada pelo uso de anabolizantes e medicamentos, tumores ou desarranjo hormonal.

Os principais sintomas, além do crescimento aparente nas mamas, é a dor na região próxima a auréola do peito e também apresentar algum nódulo endurecido. O caso pode ocorrer nos homens mais adultos também, principalmente idosos, já que essa idade está associada a produção baixa de testosterona, causando desequilíbrio hormonal.

A ginecomastia não traz apenas dores e incômodos ao homem. A enfermidade também pode ocasionar alterações psicológicas, pois, o crescimento excessivo nas mamas, transforma o corpo do homem, de forma que, ele não se sinta bem com o próprio corpo. A maioria das queixas dos pacientes com ginecomastia é pelo fato de terem vergonha de ficar sem camisa e por sofrerem bullying quando no período da adolescência, diminuindo a autoestima.

Ginecomastia tem tratamento?

Em alguns casos, no período de 12 a 18 meses os sintomas podem sumir e nunca mais aparecer. A chance da ginecomastia permanecer é bastante rara, porém, se persistir, há tratamento sim.

No caso do paciente apresentar muita dor e incômodo, há o tratamento por medicamentos. Contudo, esse tratamento só é possível quando o tempo com a enfermidade for no período  menor, entre 12 a 18 meses. Se ultrapassar disso, é necessário fazer cirurgia, no qual, o processo é semelhante ao de uma cirurgia plástica, que deixa o peitoral mais apresentável esteticamente e, claro, dá fim as dores e incômodos.

Vale lembrar que, para qualquer um dos tratamentos é recomendável procurar médicos especialistas no assunto e de confiança.

Se você, homem, apresentar os sintomas citados, não hesite em procurar ajuda, pois, o tratamento é eficaz e auxilia no processo recuperar a autoestima.

Comentários do Facebook