Graus e tipos de Ginecomastia: Conheça as variações da doença para um melhor tratamento

Tempo de leitura: 6 minutos

Em termos gerais, ginecomastia é considerado um crescimento mamário masculino acima do normal. Apesar de não causar nenhum tipo de risco à saúde pode trazer algum tipo de desconforto e baixa auto estima.

É necessário destacar que a ginecomastia pode ser ocasionada por uma série de fatores e não há uma explicação específica do motivo para o aumento abrupto das mamas masculinas. Todavia alguns especialistas afirmam que, em alguns casos, certas questões podem estar por detrás do problema, como temas relacionados aos hormônios masculinos, endócrinos, obesidade entre outros motivos.

O crescimento é causado também pelo uso de certas substâncias, medicamentos ou drogas que podem causar efeitos secundários. Em outras situações, a ginecomastia ainda pode estar relacionada a uma hipertrofia da glândula mamária ou até mesmo a quantidade desordenada de hormônios femininos nos tecidos mamários.

 

Graus de ginecomastia em relação ao crescimento

 

É possível dar um fim à ginecomastia através de cirurgia plástica. A cirurgia pode ajudar a reduzir o excesso de gordura e glândula acumulada na mama masculina. Neste caso, o procedimento cirúrgico é feito através de uma análise prévia e altamente detalhada da mama do paciente além de anestesia local.

Vale ressaltar que a ginecomastia pode afetar apenas uma ou as duas mamas ao mesmo tempo. Depois deste estudo prévio, o cirurgião irá recorrer a técnica mais adequada para cada caso, já que podem haver variações de uma pessoa para a outra.

De acordo com especialistas, a ginecomastia possui 4 graus, definidos de acordo com o crescimento das mamas:

Grau I

O incremento da mama é bem leve, não há excesso de pele e está concentrado no tecido glandular localizado entre mamilo e auréola.

Grau II

O aumento ainda é considerado leve, porém, afeta grande parte do tecido que afeta a auréola. O homem pode seguir sua vida normalmente e a ginecomastia não é identificada ao se usar roupas largas. Assim como o grau I não há excesso de pele.

Grau III

O crescimento é ainda maior e alcança o restante da mama. Por essa causa, é possível notar um excesso de pele. Ao contrário dos outros graus anteriores, a ginecomastia já pode ser identificada com o uso de certas roupas, como camisas por exemplo.

Grau IV

Neste caso, o desenvolvimento exacerbado da mama faz com que ocorra um acúmulo de pele. Trata-se de um crescimento importante, pois neste caso a mama alcança um tamanho muito similar ao tamanho da mama feminina. A deformação fica aparente o que pode acarretar também algum tipo de problema relacionado ao emocional do homem.

 

Classificação da ginecomastia de acordo com o tipo de tecido afetado

 

Conforme visto anteriormente, especialistas classificam a enfermidade em 4 graus principais. Eles variam de acordo com o tamanho do crescimento da glândula. Entretanto, alguns profissionais afirmam que existe uma outra classificação adicional determinada pelo tipo de tecido causador do desenvolvimento exagerado. São elas:

Ginecomastia glandular

O crescimento da mama afeta somente a glândula mamária.

Ginecomastia por gordura

Causada pelo excesso de gordura sem nenhuma hipertrofia associada.

Ginecomastia Mista

Este caso, o crescimento é abrupto e afeta não somente a glândula mamária como também o restante da mama. Além do excesso de pele há também o excesso de gordura.

 

Tipos de ginecomastia de acordo com o formato

 

Por último está o formato da ginecomastia, que é compreendida por 7 tipos distintos.

Tipo 1

O crescimento afeta apenas mamilo e auréola, os quais começam a apresentar um leve inchaço de forma cônica, o toque é firme e duro. Em algumas ocasiões, há o aumento da auréola.

Tipo 2

O tecido afetado continua firme e duro, entretanto afeta toda a mama. O aumento pode alcançar 45º. A ginecomastia pode apresentar um excesso de gordura e pele.

Tipo 3

O crescimento da mama masculina alcança um tamanho que varia entre 45º e 60º. Afeta toda a região da mama e causa uma leve queda do peito devido ao acúmulo de gordura.

Tipo 4

A queda do peito é maior devido ao incremento significativo de pele e do excesso de gordura, fazendo com que a cirurgia para eliminar a ginecomastia tenha que incluir a retirada da pele e a sucção de gordura. O crescimento mamário pode alcançar os 90°.

Tipo 5

Ao superar os 90º de tamanho, o paciente demonstra uma ginecomastia de nível 5. A mama cai formando uma dobra ocasionados pelo acúmulo de gordura e pele. O tamanho da auréola é consideravelmente grande.

Tipo 6

Neste caso, o paciente apresenta uma queda considerável da mama, que conta com uma grande dobra, podendo alcançar a zona das axilas podendo se estender até as costas.

Tipo 7

Caso mais grave de ginecomastia, o peito apresenta uma queda severa e a dobra se prolonga consideravelmente até a região das costas.

 

Tratamento para ginecomastia

 

Entender sobre o grau e o tipo de ginecomastia é de total importância para ajudar o cirurgião a definir qual o tipo de procedimento a ser realizado e o melhor método para corrigir e sanar problema.

Conforme destacado no início do texto, a cirurgia é o melhor método para extrair os excessos de pele e gordura da mama masculina. A cirurgia ainda permite que o problema de hipertrofia que atinge a glândula mamária seja solucionado. Todavia, existem casos em o procedimento cirúrgico pode ser evitado.

Se o problema identificado for leve, e o crescimento das mamas identificados entre os dois primeiros graus (ou os dois primeiros tipos), o profissional pode sugerir um tratamento alternativo. Normalmente técnicas não invasivas que vão auxiliar na redução do tamanho do volume do peito masculino.

Entretanto, a cirurgia continua sendo a melhor opção para eliminar os excessos de gordura e de pele, pois é uma intervenção relativamente simples e segura, na qual são aplicadas anestesia local e sedação. Somente em casos mais graves o uso de anestesia geral pode ser utilizada. A cirurgia além de aspirar a gordura do corpo, também elimina a pele em excesso, evitando assim a queda da mama.

Portanto, ao perceber o problema, procure por um especialista em ginecomastia e busque orientação antes de realizar o procedimento, para que nada saia fora do planejado e os resultados sejam os mais satisfatórios possíveis, não se esqueça sempre de conversar com amigos próximos e familiares. Informação e apoio são essenciais neste tipo de decisão.

Comentários do Facebook