Ginecomastia: É possível prevenir?

Tempo de leitura: 3 minutos

O aumento nas glândulas mamárias masculinas, fazendo com que adquiram aspecto feminino, não é um problema de saúde grave, mas gera desconforto e constrangimentos. Essa condição recebe o nome de ginecomastia e pode acontecer com os homens em qualquer idade. Esse problema ocorre quando os níveis de testosterona e estrogênio, hormônios que desempenham importantes funções no organismo, encontram-se em desequilíbrio. Isso pode ocorrer por diversos motivos, mas o lado bom é que há meios de prevenir e tratar o problema.

Causas Fisiológicas

Há fases específicas na vida dos homens em que a chance de desenvolver ginecomastia é maior. Os recém-nascidos, por exemplo, podem apresentar o quadro por conta da exposição aos hormônios da mãe. Na adolescência e no início da velhice, a produção de testosterona também sofre oscilações que podem causar ginecomastia. Nesses casos, não há muito como prever ou prevenir a condição, mas a boa notícia é que ela tende a regredir espontaneamente, tão logo os hormônios sejam regularizados.

Doenças associadas

Há algumas condições de saúde que podem ter a ginecomastia como efeito colateral. Dessa forma, iniciar o tratamento para essas condições o quanto antes é a melhor maneira de prevenir o surgimento do aumento nas mamas. Doenças sistêmicas de base, cirrose hepática, hipertireoidismo, hipogonadismo e tumores (principalmente nos testículos, nas glândulas suprarrenais, no fígado e nos pulmões) estão entre esses problemas de saúde.

Medicamentos

Evitar o uso de certos medicamentos também ajuda a prevenir o surgimento da ginecomastia. É o caso de alguns antibióticos, anti-hipertensivos e medicamentos que tratam gastrite, insuficiência cardíaca e infertilidade masculina. Dentre seus efeitos colaterais, pode ocorrer o aumento nas mamas masculinas.

Hábitos Alimentares

O consumo excessivo de alimentos gordurosos deve ser evitado. O acúmulo de tecido adiposo na região das mamas pode provocar o seu aumento, numa condição denominada lipomastia ou pseudoginecomastia (“ginecomastia falsa”). Entretanto, a gordura excessiva no organismo também pode aumentar a conversão dos andrógenos (hormônios masculinos) em estrogênio (hormônio feminino), causando a ginecomastia propriamente dita (aumento no tecido mamário, e não um simples acúmulo de gordura na região).

Efeito parecido ocorre com o álcool, cujo consumo em excesso pode desencadear cirrose hepática. Assim, o fígado encontra dificuldade em degradar o estrogênio, podendo causar ginecomastia.

Drogas e outras substâncias

O uso de drogas, como heroína injetável, maconha e cocaína, pode induzir ginecomastia por conta da redução dos andrógenos no organismo que provocam. Da mesma forma, o uso de esteroides anabolizantes faz com que a testosterona em excesso em suas fórmulas seja convertida em estrogênio, além de ter efeito na produção natural da testosterona no organismo.

Concluindo

Conhecer as causas da ginecomastia é essencial para prevenir que o problema ocorra. Saber quais são os efeitos colaterais dos medicamentos, tratar condições de saúde associadas o quanto antes, evitar o consumo de gordura e bebidas alcoólicas, e passar longe de drogas e esteroides anabolizantes são as melhores maneiras de prevenir a ginecomastia. A prática de exercícios físicos regulares também é bastante vantajosa.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.