Frutas e ginecomastia: qual a relação?

Tempo de leitura: 1 minuto

Seja para tratar doenças ou enfermidades, a alimentação tem um papel importante no processo de cura. Quando falamos de alimentos naturais, como as frutas, os benefícios são ainda maiores.

Como as frutas podem tratar a ginecomastia?

Dependendo do grau de ginecomastia que o homem possui, o tratamento pode ser por alternativas naturais, dispensando medicamentos e cirurgia. Contudo, na maioria dos casos, a boa alimentação pode reduzir o volume das mamas e traz resultados mais efetivos se aliada a outros tratamentos.

Mesmo assim, investir em frutas pode diminuir os danos a autoestima, além de ser uma alternativa saudável e econômica. Algumas frutas contem vitaminas e nutrientes que permitem a queima de gordura mais rápida e regula os hormônios do corpo.

Frutas para reduzir a ginecomastia

Confira a seguir frutas que auxiliam no processo de cura da ginecomastia, deixando o homem mais confortável com o próprio corpo:

– Manga: é rica em vitamina A, que ajuda a reduzir a gordura corporal.

– Castanhas e frutas secas: excelentes fontes de zinco, que mantém os níveis de testosterona regulados.

– Limão: grande fonte de alcalinidade, que traz melhores resultados quando acompanhados de água, em forma de suco, pois acelera o metabolismo para que a gordura queime mais rapidamente.

– Figo, tâmaras, damasco, ameixa e tangerina:  são frutas ricas em cálcio, vitamina que regula a absorção de estrogênio do corpo, dificultando o processo de aumento das mamas.

– Maçã, pera e laranja: frutas repletas de fibras, que otimizam o processo de queima de gordura se aliadas a outras vitaminas.

– Abacate, banana e goiaba: são fontes de proteínas e favorecem na eliminação da gordura quando em conjunto com atividades físicas.

Vale lembrar, que para uma dieta balanceada e focada na diminuição da ginecomastia, o mais indicado é procurar um nutricionista. Além disso, procurar um mastologista também é uma excelente opção para se livrar do excesso de volume nas mamas de uma vez por todas.

Comentários do Facebook