Evite esses alimentos e diminua a sua ginecomastia

Tempo de leitura: 2 minutos

Mesmo que suas causas principais seja por conta de fatores da idade ou desequilíbrios hormonais que variam de homem para homem, a alimentação também pode fazer a ginecomastia desenvolver-se no corpo.

Por isso, ao evitar certos tipos de alimentos e realizar uma dieta correta, o homem tem grandes chances de diminuir sua ginecomastia ou nem desenvolvê-la. Uma coisa bastante recomendada, é evitar dietas com poucos nutrientes e vitaminas, pois, causam deficiências no organismo.

E se você perceber que o seu corpo apresenta algum crescimento nas mamas, confira porque os alimentos abaixo devem ser evitados:

Álcool

O álcool em si não aumenta a produção de hormônios femininos ou reduz os masculinos no corpo. Mas ele inibe as funções do fígado de filtrar e eliminar o excesso de hormônio do organismo, revertendo no aumento das mamas.

Soja

Esse grão traz inúmeros benefícios à saúde e é recomendado principalmente para os vegetarianos por ter uma alta quantidade de proteína. Contudo, ele também colabora para o desenvolvimento da ginecomastia, por ter uma quantidade elevada de hormônios.

Frituras

Além de colaborar para o aumento de peso e elevar os níveis de colesterol no organismo, as frituras são gordurosas e fazem com que aumente o tecido adiposo do homem, acumulando gordura no corpo, que estimula a conversão de testosterona em estrogênio.

Lacticínios

O leite bovino em si tem cerca de 80% de estrogênio em sua composição. Isso ocorre porque as vacas estão em fase de amamentação, elevando os níveis do hormônio no seu organismo. Assim, quem consome leite e derivados, também ingere o estrogênio, hormônio feminino que colabora para o surgimento da ginecomastia.

Carnes gordurosas

As carnes gordurosas não são recomendadas para quem tem ginecomastia por dois motivos: primeiro, no caso da carne bovina, ela apresenta níveis elevados de estrogênio, por conta do contato com o leite da vaca. Em segundo, por serem gordurosas, aumenta o acumulo de gordura no corpo, fazendo com que a testosterona seja convertida em estrogênio, colaborando para a ginecomastia.

Em resumo, quem tem ginecomastia ou chances de desenvolvê-la precisar levar uma vida saudável, com uma alimentação equilibrada e acompanhada da prática de exercícios. Assim, o corpo mantém os níveis de hormônio regulados, eliminando as chances da enfermidade.

Contudo, se os sintomas persistirem após um ano e meio mesmo com a dieta recomendada, é indicado procurar um médico especialista no assunto e realizar o tratamento adequado.

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.