Consumo excessivo de álcool está ligado à Ginecomastia

Tempo de leitura: 2 minutos

Aquela cervejinha no happy hour de sexta-feira ou um bom vinho em um jantar a dois não vão causar grandes consequências. No entanto, quando as pessoas têm dificuldade em controlar a quantidade de bebidas alcóolicas que consomem, consequências bastante negativas podem ocorrer, inclusive a ginecomastia. Saiba mais sobre a relação entre o álcool e o aumento das mamas masculinas, bem como outros de seus desagradáveis efeitos.

Descontrole sobre ações

Não é nenhuma novidade o fato de que o álcool possui efeitos sobre a mente. Ele altera as percepções da realidade e torna mais lentos os reflexos do indivíduo, pois sua coordenação motora foi afetada. Além disso, o raciocínio e a fala também tendem a ficar mais lentos e confusos, prejudicando a comunicação da pessoa. Esse tipo de comprometimento mental conduz à perda de inibição, podendo levar o indivíduo a dizer coisas que não deveria, se envolver em brigas e, frequentemente, em perigosos acidentes de trânsito.

Cirrose hepática

O consumo de álcool em altas doses e por tempo prolongado causa danos ao fígado. O órgão é responsável por metabolizar o álcool e, quando exposto a quantidades excessivas da substância, tem seus tecidos saudáveis substituídos por tecidos fibrosos e nódulos, uma espécie de “cicatrização” do fígado. Esse processo, chamado cirrose hepática, compromete o funcionamento do órgão, que é vital, podendo levar o portador à morte.

Ginecomastia

Uma consequência não tão grave, mas bastante desagradável é a ginecomastia. Quando o consumo elevado de álcool compromete o funcionamento do fígado, o órgão, que também metaboliza hormônios, pode converter andrógenos (hormônios masculinos) em estrogênio (hormônio feminino), causando a feminização de determinadas características, incluindo o aumento nas mamas em homens.

Problemas gastrintestinais

O álcool tende a irritar as mucosas que revestem as paredes internas dos órgãos do sistema digestório, especialmente do estômago e dos intestinos. Por conta disso, o consumo em excesso de bebidas alcoólicas pode desencadear diversos problemas nesses órgãos, como gastrite, úlceras e varizes no esôfago. O câncer também pode ser uma grave consequência, podendo acometer a boca, os lábios, a faringe, a laringe, o esôfago e o fígado.

Diabetes tipo 2 e problemas cardiovasculares

Além do fígado, outro órgão muito afetado pelo consumo excessivo de álcool é o pâncreas. É nesse órgão que é produzida a insulina, uma substância que coloca a glicose dentro das células. Com a produção de insulina afetada, os índices glicêmicos ficam desequilibrados, causando o diabetes tipo 2 e também elevando os níveis de gordura no sangue. Esses são fatores de risco para problemas cardiovasculares, como varizes, AVCs e infartos.

Como é possível perceber, consumir bebidas alcoólicas em exagero produz uma série de consequências maléficas para a aparência, para a saúde física e para a saúde mental. Beba com moderação e aproveite a vida com saúde.

Comentários do Facebook