A importância dos exames de imagem e de sangue no diagnóstico de ginecomastia

Tempo de leitura: 6 minutos

Toda doença, para ter o correto diagnóstico precisa de exames de sangue, físicos, algumas vezes de imagem e uma consulta completa com o especialista. Com a ginecomastia não seria diferente, certo? Os exames de sangue servem para compreender a verdadeira causa do problema, e os de imagem para averiguar os aspectos físicos da ginecomastia e causas subjacentes. Nesse artigo falaremos sobre a importância de fazer estes exames para o diagnóstico correto da ginecomastia. Confira:

Primeiramente, o que define ginecomastia?

A ginecomastia é definida como o crescimento do tecido mamário masculino. Os critérios para o diagnóstico incluem a detecção de um disco glandular com mais de 0,5 cm de diâmetro, geralmente 2 cm de diâmetro. É uma condição comum que pode afetar homens de todas as faixas etárias e é um problema relativamente comum.

 

Causas da ginecomastia e importância dos exames

A ginecomastia é uma doença que pode ter causas fisiológicas, ou seja, problemas do próprio paciente e causas exógenas, que são causas como o uso de medicamentos, por exemplo. Dessa forma, realizar os exames de sangue, físicos e de imagem são mais do que essenciais para avaliarem a verdadeira causa do problema. Conheça as principais causas da ginecomastia:

Causas fisiológicas

O desenvolvimento do tecido mamário masculino geralmente ocorre devido a um desequilíbrio na relação entre os hormônios masculinos (testosterona e androstenediona) e os femininos, especialmente o estradiol. Esse desequilíbrio hormonal ocorre naturalmente no período neonatal (logo após o nascimento, por meio da passagem dos hormônios femininos pela placenta), adolescência, por causa da puberdade e velhice. A ginecomastia é transitória nessas fases e é recomendado que o paciente seja monitorado para ver como ela evolui.

Causas exógenas

As causas não fisiológicas da ginecomastia podem ser divididas em patológicas, farmacológicas e uso de drogas ilícitas. Dentre as causas patológicas destacam-se a síndrome de Klinefelter, cirrose, hipertireoidismo, insuficiência renal crônica, desnutrição, doença de Parkinson e diversos cânceres. 

 

Vários medicamentos estão associados à ginecomastia, como espironolactona, omeprazol, cetoconazol, metronidazol, finasterida, metroclopramida, anfetamina, antipsicóticos, haloperidol e diazepam, além de esteróides anabolizantes. 

 

O consumo regular e frequente de álcool e maconha está frequentemente associado à ginecomastia, que leva à deterioração secundária da função hepática e aumenta a conversão fisiológica de hormônios masculinos em femininos no fígado por meio da enzima aromatase.

 

Antes de fazer os exames, é importante descobrir se trata de ginecomastia ou pseudoginecomastia

No que diz respeito ao estudo das causas da ginecomastia, o mais importante é distinguir a ginecomastia do acúmulo de gordura nas mamas causado pela obesidade ou excesso de peso, conhecido como lipomastia ou pseudoginecomastia. Uma avaliação simples do IMC (índice de massa corporal) pode indicar sobrepeso ou obesidade e indicar pseudoginecomastia. 

 

Após esse procedimento, pode-se prosseguir com a realização dos exames de ginecomastia.

Ginecomastia ou câncer de mama?

Sim, homens podem ter câncer de mama também, achando que pode ser ginecomastia. O câncer de mama deve ser suspeitado na presença de uma massa dura, irregular, imóvel, unilateral de posição excêntrica. Também apresenta  retração mamilar, secreção papilar e linfadenopatia axilar. 

 

A mamografia é o melhor teste para avaliar a malignidade, enquanto a ultrassonografia pode distinguir tecido tumoral de glândula e tecido adiposo. Ambos os testes devem ser tratados como complementares no diagnóstico de ginecomastia

 

Como a ginecomastia em adultos geralmente é bilateral, pacientes com mais de 35 anos com ginecomastia unilateral devem ser submetidas a mamografia para excluir a possibilidade de câncer de mama.

Exame físico de ginecomastia

Todo paciente que apresenta ginecomastia deve ser submetido a uma entrevista e exame físico, com ênfase especial no uso de medicamentos, drogas e álcool. Sinais e sintomas de doenças sistêmicas, como hipertireoidismo, hipogonadismo, insuficiência renal ou hepática, devem ser investigados ativamente. A avaliação diagnóstica requer o exame dos sinais e sintomas e um exame físico completo para identificar as possíveis causas da ginecomastia e descartar o diagnóstico diferencial.

Exames de sangue no diagnóstico de ginecomastia

Após a consulta, o  paciente deve fazer exames para saber os níveis de testosterona, estradiol, LH e ß-HCG. Outros exames devem ser solicitados com base em sua história e exame físico. A presença de níveis elevados de ß-HCG sugere um tumor testicular que deve primeiro ser examinado por ultrassom. Na ausência de tumores testiculares, os tumores extranucleares secretores de ß-HCG devem ser descartados. 

 

Baixa testosterona com alto LH e estradiol normal ou alto indica hipogonadismo hipogonadotrófico (primário). Níveis baixos de testosterona e LH indicam hipogonadismo hipogonadotrófico (secundário). A elevação simultânea de testosterona, LH e estradiol sugere resistência aos andrógenos.

 

O hiperestrogenismo bloqueado por LH ocorre em tumores secretores de estradiol (tumores de células de Leydig ou Sertoli e alguns tumores adrenais). Em tumores adrenais, os níveis de DHEA e DHEAS facilitam o diagnóstico. Pacientes com insuficiência renal crônica apresentam níveis elevados de LH, FSH e prolactina, além de níveis baixos de testosterona.

Exame de imagem para ginecomastia

Um simples ultrassom de mamas pode diagnosticar em conjunto com exames complementares a ginecomastia, assim como o raio x de tórax é muito importante para uma avaliação mais profunda, que pode até mesmo detectar a presença de câncer de mama, se for o caso. Nesses exames o médico poderá verificar se há aumento das glândulas, se existem tumores e outras massas no local. Dessa forma, os exames de imagem são mais do que essenciais no diagnóstico e tratamento da ginecomastia.

 

Inclusive, exames de imagem são essenciais para serem feitos nos testículos e tireoide também, para descartar tumores que podem causar a ginecomastia também.

Conte com Dr. Wendell Uguetto

Os exames de imagem são essenciais para diagnosticar a ginecomastia, assim como os de sangue e o físico. Todos esses exames você precisará fazer.

 

Com diversos anos de experiência em diagnosticar, acompanhar e tratar a ginecomastia, o Dr. Wendell possui toda a estrutura para te ajudar a se livrar da ginecomastia. Agende sua consulta!

Comentários do Facebook
Dr Wendell Uguetto

Formado pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo(USP), o Dr. Wendell Uguetto concluiu o serviço de residência médica em cirurgia geral e cirurgia Plástica no Hospital das Clínicas da USP, Sua busca por aprimoramento resultou no prêmio Quality de Cirurgião Plástico de 2011. Hoje, Uguetto atende em dois consultórios e é membro da equipe de retaguarda de cirurgia plástica e crânio-maxilo-facial do Hospital Albert Einstein. Além de várias cirurgias plásticas, ele é especialista no Tratamento para Ginecomastia e na cirurgia de Ginecomastia.